Artigos

ABRIR AS SEPULTURAS

Dar vida é a missão de todo ser humano, se quiser encontrar a razão de ser da própria existência. Destruir os mecanismos de morte faz o ser humano habitar o planeta com dignidade, justiça e paz. Minorias pensam e agem ao contrário disso, imaginando que somente o próprio benefício é que vai realizá-las, mesmo tendo, para isso, que derrubar os outros com toda sorte de meios lícitos e ilícitos. Guerras, assassinatos, roubos, acúmulo de bens materiais, científicos e culturais em bem de minorias acontecem no orbe através das gerações. Estragam-se os biomas, devastam-se matas ciliares com a sede insaciável de produção de riquezas para minorias, que destroem para isso as fontes de água, de vida e de melhores ambientes naturais que seriam de benefício para todos.  Mineradoras poluem o solo e os ambientes sociais, tiram riquezas, pagam pouquíssimos tributos, produzem desvantagens sociais e doenças para moradores vicinais de seus empreendimentos insalubres.

Deus comunica ao ser humano sua vontade e seu projeto de dar vida e superar tudo o que fixa o ser humano em suas sepulturas egoístas e incapazes de lutar por um ideal de fraternidade: “Vou abrir  as vossas sepulturas e conduzir-vos para a terra de Israel… Porei em vós o meu espírito, para que vivais” (Ezequiel 37,12.14). É preciso deixar o projeto divino agir em nós e em toda a sociedade. Todos somos responsáveis pelo cuidado com o planeta, o respeito ao meio ambiente e o desenvolvimento das pessoas e dos povos. Precisamos ter visão ampla da vida, que nos faça sair do sepulcro fechado de nosso egoísmo.

Neste tempo quaresmal somos instados a refletir e reavaliar sobre como vivemos… qual o sentido que damos à vida… como usamos nossa inteligência e todos os nossos talentos, que foram dados sem nosso mérito para o serviço à vida, ao cuidado com o planeta, à promoção dos que estão enclausurados em seus limites de pobreza, miséria e inclusão social!

O apóstolo Paulo faz a comparação dos que vivem conforme a carne ou o egoísmo e os que vivem segundo o Espírito ou o amor de Deus (Cf. Romanos 8,8-11). No primeiro caso, as pessoas vivem segundo os ditames dos instintos e da matéria, colocando sua finalidade de vida no que é transitório. No outro, vive-se no amor a Deus, explicitado na doação de si, no sair de si e ir ao encontro das necessidades do semelhante. É como sair da própria sepultura e ter a vida nova de quem encontra em Deus sua força para agir na solidariedade com o próximo.

Jesus fez Lázaro sair da sepultura para novamente ter a vida reestabelecida, para cumprir sua total missão na terra (Cf. João 11,1-45). Muitos morrem antes da hora, seja física, seja moralmente. Precisamos tirar as causas dessas mortes, para darmos condição a que todos cumpram sua missão no ciclo total de vida terrena e deem de si para a promoção da vida, conforme lhes incumbe o Criador. O próprio Filho de Deus veio “para dar vida em plenitude a todos”! Ele mesmo prova que tem poder para sair do sepulcro depois de o terem matado em sua natureza humana. Como Ele tem também a natureza divina, ressuscitou, fazendo a Páscoa, ou passagem da morte para a vida! Por isso, ninguém perde se O seguir, também dando de si pela regeneração da vida humana no orbe.

  1. José Alberto Moura, CSS

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Voz do Pastor

Dom José Alberto

Arcebispo de Montes Claros (MG)

 

ENQUETE

Estamos celebrando até 25 de novembro de 2018 o Ano Nacional?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook