Artigos

Celebrar a vida e não ter a vergonha de ser feliz

Como já cantou o artista: Viver e não ter a vergonha de ser feliz! Você leitor poderia nos perguntar: por que alguém teria a vergonha de ser feliz? Ser feliz já não é tudo o que todos querem?

Bem, primeiro poderíamos dizer que nem sempre é fácil fazer escolhas em direção à felicidade, mesmo porque nem sempre sabemos o que realmente vai nos fazer felizes. Pode-se correr o risco de vivermos tão obcecados em ser felizes, que esqueçamos de viver… e isso não é um trocadilho. Muitas pessoas vivem tão focadas em alcançar algo, em obter algo, em ser algo ou alguém, que às vezes atropelam o presente da vida. A armadilha que atropela o presente da vida está em acreditar que “quando tiver dinheiro serei feliz”, ou “quando tiver casado serei feliz”, ou ainda “quando tiver minha casa serei feliz”, ora colocando a felicidade numa coisa ou numa pessoa.

Quantas vezes você parou para observar com real interesse as pessoas que vivem com você? Que trabalham com você? Ou qual foi a ultima vez que observou a natureza, o contorno das arvores, o cantar dos pássaros, as coincidências/providencias do dia a dia? Quase sempre nos engrenamos numa vida tão frenética, que achamos que tudo é normal. Acabamos por não valorizar de verdade a saúde que temos, ou a dos nossos filhos; o pão que conseguimos colocar em nossas mesas, o teto que temos para nos abrigar, os amigos com os quais podemos contar, a família com a qual fomos presenteados, enfim, quantos presentes não “desembrulhamos” direito, ou não apreciamos com a intensidade que poderíamos.

Muitas pessoas desgastam suas vidas focadas no futuro, ou no passado e perde o dom presente, outras conquistaram o dom de viver o presente como “um presente” e se sentem felizes. Qual delas você tem sido? E essa auto-analise é importante: com o que tenho gasto grande parte do meu tempo? Tentando ser ou conquistar algo ou alguém? Buscando sempre algo que não sou ou não tenho? E não estamos aqui dizendo que não se deve sonhar, ter projetos, e “correr atrás” desses projetos, pelo contrário somente quem vive o momento presente poderá ser feliz quando vier o futuro, portanto estamos fazendo um convite para não se esquecer de caminhar devagar no presente em busca de um bom futuro; apreciar o que você é como pessoa, o que tem e o que faz, enquanto não alcança o que deseja ser, ter ou fazer.

E há ainda outras pessoas que vivem tão presas em seus passados, em suas historias boas ou tristes, que vivem como zumbis, como se não estivessem aqui; e tudo o que lhes acontece no presente não merece apreciação, não é digna de comemoração. Se você, por algum motivo se encontra assim, o nosso convite é de uma reconciliação com sua historia, com você mesmo; o convite é que tenha um olhar misericordioso, leve, e desenvolva o dom de apreciar a si e o sentimento de merecimento. Reconheça o quanto és precioso e especial, especialmente para Deus.

Então, qual é o melhor dos tempos para se viver?  E ousamos dizer que é o presente, com a gratidão sobre o seu passado (independente de como tenha sido, já que hoje você tem novas oportunidades de ser bem melhor do que já foi), e com o olhar esperançoso e confiante sobre seu futuro. Somos caminhantes, não estamos prontos, e nesse caminho da vida, devemos ter algumas certezas como direcionadores: somos criados à imagem e semelhança de Deus, filhos do Amor por excelência, filhos desse Deus que venceu a morte e esta vivo, ressuscitado! Temos um potencial ilimitado que talvez não tenhamos consciência, e quanto mais nos aproximarmos do nosso projeto original (que esta no coração de Deus) mais assertivos e felizes seremos!

É tempo novo! Tempo de celebrar a vida e viver o presente, pois a hora é agora! É o momento de viver cada situação como única, estando presente inteiramente de corpo, alma, mente e coração, seja num diálogo, numa tarefa, numa reunião, em meio às tempestades, numa oração, ou seja, que possa viver a beleza da vida em cada instante sem a vergonha de ser feliz.

Feliz Páscoa!
Autores: Gregório Ventura e Eliane Ventura

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook