Artigos

COMUNIDADE

Celebramos neste próximo domingo a festa da Santíssima Trindade, sendo um só Deus em três pessoas, formando uma unidade divina. Foi Ela que criou tudo o que existe no universo. No planeta terra nos criou à sua imagem e semelhança. As três pessoas divinas criaram e cuidam de tudo, formando a harmonia das constelações e os mistérios insondáveis dos mesmos. O ser humano vai descobrindo um pouco da obra divina criada. Deus nos deu a incumbência de cuidar da terra com o mesmo amor da Trindade Santa. Feito o “dever de casa” seremos recompensados já na vida terrena e com a vida eterna feliz com Ela.

Para vivermos como imagem divina, precisamos usar o amor humano cheio do divino, para também nos entendermos na convivência fraterna, respeitando cada ser humano na sua dignidade,  como morada de Deus e também cada ser criado e, inclusive, o meio ambiente. Ao contrário, desvirtuamos o sentido da vida e não realizamos o projeto da Trindade a nosso respeito. Provocamos o caos. As consequências são danosas. As guerras pelo poder, pelo acúmulo de riquezas nas mãos de poucos, deixando a maioria na miséria e no sofrimento, a busca desenfreada do bem estar concentrado nas elites, a corrupção na política, a desagregação da família e tudo o que descaracteriza a justiça e o bem comum são males resultados  da desobediência a Deus.

Na época de Moisés o Criador já havia dado as indicações e orientações para o povo encontrar o caminho da vida digna na convivência humana. Os mandamentos não são bitolamentos, mas encaminhamentos para a direção da caminhada que conduz à vida realizada (Cf. 34,4-9). Aliás, o ser humano seguindo os próprios caprichos instintivos, não é capaz de olhar para um objetivo maior, que só é encontrado em Deus. Para isso, é preciso exercitar-se continuamente na prática da solidariedade, com a vida de fraternidade, justiça, promoção do bem comum, compreensão, diálogo, misericórdia e paz. O Apóstolo Paulo dá conselhos  e estímulo para o aperfeiçoamento das pessoas nessa direção (Cf. 2 Coríntios 13,11-13).

Na sociedade existem pessoas que têm oportunidade de formar sua consciência para valores da prática da alteridade, dando de si pelo bem do semelhante. Não medem esforços e sacrifícios em bem do semelhante, principalmente dos mais deixados de lado na convivência social. São capazes de se modelar no amor de Deus e se esforçam por viver, à semelhança das pessoas da Trindade, ajudando a orientar os outros a também serem solidários e irmanados no entendimento e na promoção de cada ser humano, criado à imagem divina. Buscam o exemplo do Filho divino, como ele mesmo diz: ”Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna” (João 3,16). Assim, na trilha de Jesus, muitas pessoas são capazes de se doar para promover o que é o melhor para a comunidade. Fazendo assim, seremos capazes de consertar a sociedade com o amor humano entrelaçado com o divino!

***José Alberto Moura, CSS –  Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

 

 

 

 

 

 

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook