Artigos

Correção Fraterna: Uma verdade com Amor.

Helping a friend in need

“Quem é raivoso atiça as brigas; quem é paciente acalma as discussões.” Provérbios 15,18

Uma das grandes dificuldades percebida em pessoas que ocupam posições de liderança é a falta de habilidade em fazer correções que sejam verdadeiramente fraternas. As pessoas normalmente cometem erros por falta de comunicação, por não compreenderem ou mesmo por displicência, e não poucas vezes é legítimo o posicionamento de correção de coordenadores, no entanto em muitas situações dizem a verdade sem amor, em um modo de falar inflexível e na frente de outras pessoas. O modo como uma pessoa é corrigida pode gerar humilhação e até sentimentos de raiva.

É preciso aprender a dar feedback ou retorno às pessoas sobre seus comportamentos indesejáveis e apreciar os comportamentos adequados e atitudes destacáveis. A correção é necessária para ajudar o outro a perceber o seu erro, mudar e crescer, aprendendo com seus erros, seja eles simples ou graves. Em ambas as situações a pessoa deve ser chamada no particular e nunca exposta diante de outras pessoas. Muitas vezes este tipo de atitude é demonstração de poder de quem está à frente, falta de equilíbrio emocional como líder, que o leva a comportar-se com raiva e de modo impaciente. Em algumas situações pode nem ser um erro da pessoa, e sim apenas uma forma de fazer algo diferente, que o coordenador não aceita porque exige que seja do seu jeito. Desta forma o líder acaba expondo a pessoa na frente dos outros numa verdade sem amor. Ao contrário, quando numa relação, a pessoa numa posição de coordenação adota uma postura aberta, madura e sem receio do conflito que ajuda a crescer, todos ganham e o grupo todo cresce.

A sabedoria bíblica nos ensina a fazer a correção com amor. Jesus ensinou seus discípulos que a primeira atitude é chamar seu irmão a parte “vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão.” O que deve mover a atitude de correção é o amor e a intenção de ajudar o outro a crescer. Também não é correto falar ou cair na armadilha de falar “pelas costas”, mas ter uma postura positiva de escolher o momento adequado de chamar a pessoa para expor o ocorrido e através do diálogo ajustar a relação. Eis uma atitude sensata!

Quando se compreende o valor da correção fraterna e esta é praticada, principalmente pelos que devem dar o exemplo, o ambiente fica mais agradável, saudável e mais propício ao desenvolvimento das pessoas num propósito comum. E você, como tem dito sua verdade: com ou sem amor?!

*Gregório Ventura, Master Coach. Eliane Ventura, Psicóloga.

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Voz do Pastor

Dom José Alberto

Arcebispo de Montes Claros (MG)

 

ENQUETE

Estamos celebrando até 25 de novembro de 2018 o Ano Nacional?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook