Artigos

FILHOS DA LUZ

Este tempo da Quaresma é muito propício para vermos e revermos nossa caminhada, verificando se estamos no rumo certo. Muitos enxergam o caminho mas não a direção e o objetivo da caminhada. É fácil olhar só para o transitório,  buscando nele o escopo da vida. Quando percebem, a vida aqui já está no fim e o que foi entesourado não dá o passaporte seguro de entrar na eternidade feliz. Só o transitório não dá base para a plena realização humana.

Na cura do cego Jesus abriu-lhe a visão para não só enxergar a realidade em torno de si, mas também para reconhecê-Lo e segui-Lo como  fonte de vida nova (Cf. João 9,11-1). Ver pela visão da fé o Filho de Deus leva a pessoa a seguir seus passos, imitá-Lo e fazer o que Ele manda para ter vida de plena realização. Aliás, se todos os seres humanos observassem a lei divina tomariam o rumo da superação de seus males físicos, materiais e morais.  Haveria mais conversão, misericórdia, entendimento, cooperação, justiça e solidariedade!

Muitas vezes, com a visão não bem utilizada,  olham-se as aparências e não a verdade. Assim, muitos são ludibriados por espertalhões que sabem enganar os menos avisados e são prejudicados por não analisarem e verificarem o real valor das pessoas, das coisas, das situações e intenções. Quantos são ludibriados por falsos políticos! Por falsas personalidades que vão ao casamento! Por falsas lideranças de diversos segmentos da sociedade!  Por falsos produtos…! Deus mandou Samuel ungir como rei um dos sete filhos de Jessé. Depois da apresentação do primeiro, de nome Eliab, o profeta viu sua boa aparência e pensou que deveria ser o melhor candidato; mas Deus lhe inspirou sugestivamente que não se deve escolher motivando-se na bela aparência. Ele deveria escolher outro. Foi então que, um por um dos apresentados foi sendo rejeitado. Por fim, o profeta perguntou se Jessé tinha mais algum filho. De fato, o que faltava, o mais novo,  estava fora, cuidando de ovelhas. Mandado vir imediatamente, foi ungido rei (Cf. 1 Samuel 161-13).

Ver em profundidade leva a pessoa a analisar não só um lado da questão, ou uma só pessoa, quando há a dificuldade com terceiros. É preciso olhar os dois lados para se chegar de modo mais correto à verdade dos fatos apesentados por pessoas e versões diferentes. Às vezes tem-se que ouvir terceiros e testemunhas idôneas. Caso contrário, podem-se tomar decisões errôneas e injustas.

Paulo fala de virtudes que mostram como as pessoas devem enxergar como filhos da luz, como “bondade, justiça e verdade”. Quem vive nas trevas não é capaz de ver o bem e pode ser desmascarado (Cf. Efésios 5,8-14).  Tomara que a justiça humana funcione bem, desmascare, fiscalize, julgue e puna tanta gente que faz muito mal à sociedade e, principalmente, aos mais prejudicados, os pobres e excluídos de vida digna! A justiça que assim faz está ajudando, como filhos da luz, os que também esperam a luz da vida de sentido acontecer para todos!

José Alberto Moura, CSS -Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

AGENDA

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹mar 2019› » 

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook