GANHAR E PERDER

ganhar

O pouco adquirido com dignidade e honestidade vale mais do que o muito com o roubo e imoralmente. É difícil para alguns aceitar isso, pois, sua formação para valores e grandeza de caráter não lhes é concebível por não terem o discernimento ético e moral adequados. Não percebem e não sabem ver o que é o ser humano de honradez social pelo trabalho em bem do outro. Vivem no orgulho pessoal e se sentem maiores do que os outros pela razão de terem muito na ordem material. Nessa perspectiva Jesus enaltece quem sabe ter conduta elogiável e receberá a recompensa duradoura pelo bem praticado ao outro, mesmo no sacrifício para servir o semelhante: “Deus vai recompensar a cada um de acordo com a sua conduta” (Mateus 16,27). Quem sabe perder para doar-se vai ganhar. A vida de ostentação e de grandeza pelo que se tem de riqueza material ou de auto projeção é de valor menor ou nulo em relação a quem tem vida simples, de honradez e  grandeza moral.

Quem se deixa conduzir pelo ditame da consciência formada na Palavra divina sabe unir fé com a prática da vida coerente com a mesma. Ao contrário, a religiosidade fica só na casca ou aparência, engando a si mesmo e aos outros. A fé autêntica faz a pessoa colocar valor relativo no que é material ou na busca de vantagens e mesmo na desonestidade em buscar riqueza transitória como finalidade e não como instrumento para fazer o bem. Quando se coloca Deus como finalidade e valor absoluto vai-se compreender que tudo é transitório na vida e se usa do que é passageiro para fazer o bem à coletividade de forma honrada eticamente. O Filho de Deus lembra que não adianta nada ganhar o mundo inteiro se a pessoa vier a perder a sua vida. Mais: quem quiser salvar a vida deve dar de si pelo bem do semelhante (Cf. Mateus 16,25-26).

O segredo de se ter sempre em mente a orientação da Palavra de Deus, é mergulhar nela de tal modo que ela se torne como uma obsessão ou sedução, como diz o profeta Jeremias (Cf. Jeremias 20,7). Uma simples leitura da Palavra, sem meditar e abrir o coração para aceitá-la como orientadora da vida não vai produzir o efeito para transformar a própria vida. Para isso, a leitura orante da Bíblia faz modificar o coração e a vida. Quem, ao contrário, se deixa arrastar pela “leitura” do ter, do prazer e do poder, faz disso a cartilha orientadora da vida. Vai viver sem ter um resultado da riqueza de ser um ser verdadeiramente humano, tornando-se desumano, com desproveito para sua própria vida e a do semelhante. Não contribui para a convivência harmoniosa, com consequência de viver sem qualidade de dignidade e honradez pessoal e social.

Precisamos  fazer uma grande varredura ética e moral em nosso tecido social. Isso se dará com a formação da consciência cidadã. A educação dentro com valores humanos e religiosos que impregnem a pessoa e suas atitudes para a alteridade, as virtudes naturais e sobrenaturais  é indispensável.  Assim a pessoa vai se convencer que será grande não pelo que tem e sim pelo seu ser, que convive com a bondade baseada no amor humano e divino. Afinal, ser filho ou filha de Deus é mostrado com o uso dos talentos outorgados pelo Criador, para dar, cada um de si, pelo bem do próximo e do meio ambiente. Conforme ensina Jesus, o maior é quem mais serve, mesmo com o sacrifício de si. Deste modo, receberá a recompensa divina e até a recompensa humana!

José Alberto Moura, CSS – Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Viviane CarvalhoGANHAR E PERDER