Notícias

Grupos dos padres novos se despedem de Dom José Alberto.

Na manhã desta terça-feira (11), os padres de 0 a 5 anos de ordenados, chamado de grupo dos padres novos, visitaram o arcebispo metropolitano Dom José Alberto Moura em sua residência episcopal e celebraram com ele, a Eucaristia. O objetivo foi manifestar ao arcebispo que já se despede da Arquidiocese, pois se aproxima sua aposentadoria, o agradecimento pelo ministério episcopal, sobretudo, porque todos os padres que aparecem na foto foram ordenados por Dom Moura.

“A minha turma de seminário de nossa arquidiocese no ano de 2008 foi aquela que acompanhou dom José Alberto por estes anos todos desde que aqui chegou. Todo o desenvolvimento das ações de Dom José no Seminário e no meio do clero nós vivenciamos tudo”, por telefone informou padre André Henrique, Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição em Jequitaí.

“Eu admiro algumas características peculiares que sempre me chamou a atenção em Dom José na missão e no relacionamento com os padres: primeiro, ele sempre procurou ser muito discreto, sem querer chamar a atenção para si, isso é uma grande virtude. Depois, buscou ajudar as pessoas mais simples e sofrida. E algo muito importante, ele procurava o diálogo e sempre foi misericordioso com os padres. Do jeito dele, sempre foi muito próximo e misericordioso, repetiu o padre pela entrevista que seguia por telefone.

Outra característica do arcebispo apontada pelo sacerdote é a sabedoria e a prudência. Sua inteligência diante de situações que teve de enfrentar, fazia o diferencial. “Hoje, eu fiquei emotivo ao participar desse momento, porque o bispo quando se torna emérito vai ter outro estilo de vida. Eu me coloquei um pouco diante da missão no lugar dele. Como ele vai lidar com isso, visto que é muito ativo. Nós só vamos reconhecer o que Dom José fez por nós daqui um tempo. Agora não temos a dimensão do tanto que ele ajudou nossa arquidiocese e ao clero. Sem dúvida, este processo eclesiástico sempre será uma realidade que uma hora ou outra o bispo deve renunciar e afastar para ficar emérito. Mas não é fácil despedir de alguém que gostamos. Temos a consciência que a Igreja não fixa em pessoas e sim em Jesus Cristo, por isso que ela permanece. Porque a pessoa Maior é Jesus Cristo. Finalizou padre Henrique ao dizer que sentirá saudade, mas que o trabalho e a missão continuam. E lembrou das palavras do arcebispo metropolitano: “Eu estou indo, mas que bom que Dom João Justino está aqui e pode contar com a ajuda e o apoio de vocês para continuar esse trabalho. O arcebispo coadjutor, Dom João Justino de Medeiros Silva também concelebrou com eles e permaneceu até o final da reunião.

Fotos enviadas por Dom João Justino.

____________________________________________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros
Contatos: (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Voz do Pastor

Dom José Alberto

Arcebispo de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

 

ENQUETE

Estamos celebrando até 25 de novembro de 2018 o Ano Nacional?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook