Voz do Pastor

Lavar-se

Na caminhada da vida o pó da sujeira de nossas falhas e limites nos dá ensejo ao banho regenerador da purificação. Quem não o faz vai acumulando mau odor social e má qualidade no relacionamento com os outros nos diversos ambientes e convivência. Há quem precise de purificação especial, devido à sujeira impregnada na alma e no relacionamento humano. Muitos precisam de verdadeira revisão de vida e análise de sua situação espiritual e moral. O banho ético está sendo indispensável na nossa situação social. Muitos não percebem o mau cheiro de sua podridão moral e sua dívida comunitária cheia de lixo pouco odoroso. Não basta um perfume que mascare sua situação de conduta apodrecida. É preciso uma verdadeira mudança da roupagem moral!

Há quem não perceba que o antídoto para sua conduta perniciosa e doentia existe e, sem tanto esforço, pode e deve ser usado logo para seu benefício pessoal e social. Assim como um leproso se aproximou de Jesus e pediu que o curasse (Cf. Marcos 1,40-42), também é possível o milagre da purificação da alma e da conduta para um novo encaminhamento de vida. Em primeiro lugar é necessária a análise de si para se perceber a importância da mudança, considerando que se é “grande” quando se tem a humildade de reconhecer a verdade de si, dos outros e do sentido da vida. Ao contrário, a continuação da mesmice do próprio egoísmo e da cegueira do orgulho pessoal, levam a pessoa e ser de convivência maculada pelo fechamento. Assim ela não colabora com uma vida de mais solidariedade, justiça e contribuição com a promoção dos outros e do bem comum.

Precisamos ter a consciência de que somos frágeis, erramos e muitas vezes somos egoístas e não desenvolvemos os dons de Deus para os colocarmos a serviço do bem comum. Quando nos convencemos de que nossa vida é importante para promovermos o que torna a convivência mais humana, solidária e beneficiadora da sociedade, em especial dos mais  deixados de lado no convívio social fraterno, somos capazes de nos purificar e mudar nossa conduta. Tornamo-nos pessoas mais acolhedoras, compreensivas e comprometidas com causas de benefício social. Não nos omitimos e trabalhamos para defendermos  o que mais beneficia a convivência de irmãos. Não nos conformamos com as injustiças e o uso de cargos mal usados em detrimento do povo. Mesmo no sofrimento e na doação para essa finalidade, nos purificamos para melhor servir.

Jesus não se ufanava por ter realizado o bem. Ele sempre agiu para dar vida e dignificar a pessoa humana necessitada dele para encontrar um sentido de vida realizadora. Ele não só curou o físico e o psíquico, mas também o espírito. Assim, quem quer perceber o porquê da própria vida, é capaz de mudar a si mesmo para exercer a missão de amar e servir. A mudança ou purificação  pessoal deve ser uma constante em quem deseja viver a vocação de colaborar com um mundo de mais entendimento, fraternidade e convivência no amor!

José Alberto Moura, CSS  –  Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Voz do Pastor

Dom José Alberto

Arcebispo de Montes Claros (MG)

 

ENQUETE

Estamos celebrando até 25 de novembro de 2018 o Ano Nacional?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook