Artigos

MISSÃO APOSTÓLICA

A festa de São Pedro e São Paulo nos coloca dentro da escolha e do mandato de Cristo a seus apóstolos, com a chefia do primeiro. A Igreja estabelecida por Jesus tem a missão de ser luz para a humanidade, indicando o sentido da vida para todos. Fora das coordenadas divinas o ser humano se animaliza, com todas as consequências de injustiças, desmandos ambientais, familiares, morais e éticos. As guerras, a corrupção, os assassinatos e a degeneração da cidadania fazem o ser humano retroagir de sua vocação para amar e ser solidário com o semelhante.

A apostolicidade da Igreja de Cristo faz com que as pessoas no seio da Igreja percebam que Jesus não é uma lembrança de personagem líder no passado, mas uma pessoa divina com a presença viva na atualidade da Igreja e da humanidade, com a direção dos sucessores dos apóstolos, liderados pela batuta de Pedro. O próprio Mestre lembra que “sem mim nada podeis fazer” (João 15,7)! Mas Ele age visivelmente em sua Igreja através dos dirigentes por Ele escolhidos e de todo seu povo, encarregado de ser como luz para o mundo.

A Igreja de Cristo não toma lugar de ninguém, nem de qualquer organização humana e mesmo das religiões. Mas tem a missão de ser sinal luminoso da pessoa e da proposta de Cristo. Seu valor é insubstituível. Apresenta o novo do amor de Deus com o modo de viver e de se relacionar com todos. Isso é feito com a doação de si pela causa da implantação da justiça misericordiosa de Deus. Não é um povo sem defeito, mas uma família humano-divina, que tem a proposta do Filho de Deus a apresentar a todos, para que tenham vida plena de sentido e realização. Trata-se de cada um aceitar o desafio do Evangelho, bem como experimentar e realizar o encontro com o Divino Mestre. Imita-se a sua vida, seguindo seus ensinamentos. A promessa dele se realiza. Cuida-se de viver a fé nele. Aliás, somente Ele, até hoje, mostrou sua divindade, ressuscitando de entre os mortos!

Um grande desafio para quem segue as coordenadas de Jesus é o de ser membro consciente e responsável de sua Igreja. Aceita-se, então, dar testemunho e mostrar o ensinamento dos apóstolos. O próprio Jesus disse que, ouvindo-os, ouve-se a Ele mesmo: “Quem vos ouve, a mim ouve”! Os apóstolos viveram com Ele e testemunharam sua ressurreição. Eles não escreveram tudo o que Jesus falou. Os escritos nos Evangelhos não apresentam tudo o que  Jesus falou, como lembra João (Cf. João 20,30). Mas eles foram encarregados de dizer tudo o que viram e ouviram do Mestre. É o ensinamento dos apóstolos. Quem quer fazer parte da Igreja de Cristo, deve seguir tal ensinamento com humildade e obediência para ser coerente com sua fé.

Pedro e Paulo representam a força apostólica da Igreja, em união com os demais apóstolos de Cristo. Por isso, através da celebração de sua festa, reafirmamos nossa adesão total e incondicional a Cristo e à sua Igreja. Reassumimos nosso compromisso de sermos também, pela fé e pela coerência de vida com ela, testemunhas da ressurreição de Cristo, como Igreja apostólica!

José Alberto Moura, CSS – Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

AGENDA

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹jan 2019› » 

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook