Artigos

MISSÃO APOSTÓLICA

A festa de São Pedro e São Paulo nos coloca dentro da escolha e do mandato de Cristo a seus apóstolos, com a chefia do primeiro. A Igreja estabelecida por Jesus tem a missão de ser luz para a humanidade, indicando o sentido da vida para todos. Fora das coordenadas divinas o ser humano se animaliza, com todas as consequências de injustiças, desmandos ambientais, familiares, morais e éticos. As guerras, a corrupção, os assassinatos e a degeneração da cidadania fazem o ser humano retroagir de sua vocação para amar e ser solidário com o semelhante.

A apostolicidade da Igreja de Cristo faz com que as pessoas no seio da Igreja percebam que Jesus não é uma lembrança de personagem líder no passado, mas uma pessoa divina com a presença viva na atualidade da Igreja e da humanidade, com a direção dos sucessores dos apóstolos, liderados pela batuta de Pedro. O próprio Mestre lembra que “sem mim nada podeis fazer” (João 15,7)! Mas Ele age visivelmente em sua Igreja através dos dirigentes por Ele escolhidos e de todo seu povo, encarregado de ser como luz para o mundo.

A Igreja de Cristo não toma lugar de ninguém, nem de qualquer organização humana e mesmo das religiões. Mas tem a missão de ser sinal luminoso da pessoa e da proposta de Cristo. Seu valor é insubstituível. Apresenta o novo do amor de Deus com o modo de viver e de se relacionar com todos. Isso é feito com a doação de si pela causa da implantação da justiça misericordiosa de Deus. Não é um povo sem defeito, mas uma família humano-divina, que tem a proposta do Filho de Deus a apresentar a todos, para que tenham vida plena de sentido e realização. Trata-se de cada um aceitar o desafio do Evangelho, bem como experimentar e realizar o encontro com o Divino Mestre. Imita-se a sua vida, seguindo seus ensinamentos. A promessa dele se realiza. Cuida-se de viver a fé nele. Aliás, somente Ele, até hoje, mostrou sua divindade, ressuscitando de entre os mortos!

Um grande desafio para quem segue as coordenadas de Jesus é o de ser membro consciente e responsável de sua Igreja. Aceita-se, então, dar testemunho e mostrar o ensinamento dos apóstolos. O próprio Jesus disse que, ouvindo-os, ouve-se a Ele mesmo: “Quem vos ouve, a mim ouve”! Os apóstolos viveram com Ele e testemunharam sua ressurreição. Eles não escreveram tudo o que Jesus falou. Os escritos nos Evangelhos não apresentam tudo o que  Jesus falou, como lembra João (Cf. João 20,30). Mas eles foram encarregados de dizer tudo o que viram e ouviram do Mestre. É o ensinamento dos apóstolos. Quem quer fazer parte da Igreja de Cristo, deve seguir tal ensinamento com humildade e obediência para ser coerente com sua fé.

Pedro e Paulo representam a força apostólica da Igreja, em união com os demais apóstolos de Cristo. Por isso, através da celebração de sua festa, reafirmamos nossa adesão total e incondicional a Cristo e à sua Igreja. Reassumimos nosso compromisso de sermos também, pela fé e pela coerência de vida com ela, testemunhas da ressurreição de Cristo, como Igreja apostólica!

José Alberto Moura, CSS – Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook