Notícias

O perfil dos seminaristas que serão ordenados diáconos transitórios em primeiro de junho

Conheça nesta publicação, o perfil dos candidatos ao diaconado. São três jovens que serão ordenados diáconos transitórios, no dia 1º de junho, às 10h, na Igreja Senhor do Bonfim, em Bocaiuva. Eles serão os primeiros diáconos diocesanos a serem ordenados por dom João Justino desde que assumiu o governo da Igreja particular. Leia logo abaixo, a matéria que se encontra na 15ª edição da revista Clarão do Norte, nas páginas de 17 a 23.  

PERFIL ___________________________________________________________________

(…) A decisão é tua! São muitos os convidados, quase ninguém tem tempo (…). Esse trecho de uma das músicas mais famosas de padre Zezinho – Vocação –  define muito bem o desejo desses sete jovens seminaristas de nossa arquidiocese. Eles decidiram ficar! Optaram pelo amor ao próximo e à Igreja.  E por terem ficado, neste ano de 2019 experimentam um momento especial em sua caminhada de fé, que no despertar de sua juventude, ouviram o chamado à vocação sacerdotal. Renunciaram muita coisa sim, mas ganharam a graça de apresentarem a tantos outros, a proposta do reino de Deus. Este momento vivido por eles é um passo importante para o ministério que receberão em seguida, se preparam para o diaconado e presbiterado. Vivenciam nas paróquias para as quais foram designados, com afinco e dedicação este ano pastoral. Foram inseridos na realidade administrativa e pastoral da paróquia e ajudarão a entender quais os desafios encontrados no dia a dia de uma comunidade de fé. Por isso, nossa revista traz para você um rápido perfil de cada um desses “jovens”, homens comuns, que deixaram a realidade de um lar, pai, mãe, irmãos, para se dedicarem e servirem a outras famílias na construção do reino de Deus. Conheça a seguir quem serão, com a graça de Deus, os futuros padres de nossa arquidiocese.

 “O chamado de Deus em minha vida aconteceu desde quando eu era criança”
Júnio de Oliveira Bento, aos 41 anos de idade e há oito no Seminário, acumula alguns mais em experiência religiosa. Filho de dona Maria Lourdes Oliveira e do senhor Geraldo Bento de Oliveira, é o terceiro de quatros filhos que eles tiveram no casamento.  O chamado de Deus, em minha vida, aconteceu desde quando eu era criança. No entanto, com o passar do tempo, na adolescência, houve aquele momento em que precisei dar uma resposta significativa e madura a esse chamado de Deus. Seguir Jesus mais de perto é maravilhoso, porém, não se trata de um idealismo ou mesmo de uma fantasia no seguimento, mas de uma realidade concreta que nos conduz a renúncia pelo desejo de servir ao Reino. Por isso, o evangelista nos diz brilhantemente: “Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz, cada dia, e siga-me” (Lc 9,23).

Aos 18 anos, seguia minha vida de cristão como qualquer outro jovem do meu tempo, ou seja, participava das missas, dos grupos de oração e grupo de jovens, rezávamos o terço juntos, tínhamos as gincanas bíblicas, tempo para faculdade e para o trabalho, etc.  Sempre busquei intensidade nas coisas que me eram solicitadas e busquei sempre dar o melhor de mim, e nisto eu incluo minha experiência na Comunidade Canção Nova, onde permaneci por quase 3 anos, assim como no Seminário Arquidiocesano Imaculado Coração de Maria em Montes Claros.

Na atualidade, vivo com entusiasmo e alegria o Ano Pastoral na paróquia Senhora Sant’Ana  em Brasília de Minas, cujo administrador apostólico é Padre Fernando Andrade. Já nesse primeiro contato com a paróquia, posso dizer que mais do que tocar nos desafios é já fazer a experiência de me sentir útil, na medida em que vou acolhendo o novo e sendo acolhido por um povo indescritível na generosidade, simplicidade, alegria e fé enraizada. Mas é como nos apresenta a Carta aos Romanos: “Sabemos que Deus coopera em tudo para o bem daqueles que o amam, daqueles que são chamados segundo o seu desígnio” (Rm 8,28).

Concluindo, eu diria que para os ministérios que a Santa Igreja me confiará no decorrer desta caminhada, um pensamento de Santo Agostinho ilustrará muito bem, quando ele diz que: “O sacerdócio é um serviço de amor, é o serviço do bom pastor, que oferece a vida pelas ovelhas (Jo10, 14-15)”. É nesse sentido que chamo a atenção de todos os jovens que desejam dar o seu sim a Deus e sentem medo de fazê-lo por causa das contrapropostas do mundo que os cercam, que sendo este um chamado de Deus, você será muito feliz e se sentirá como eu estou me sentindo nessa nova missão, que de fato valeu o sim ofertado a Deus há tantos anos na minha vida.

 “Cristo fará de ti luz das nações e instrumento de salvação para todos os povos”.
O terceiro filho de José Geraldo de Oliveira e Vicentina Dias de Oliveira Silva tem 37 anos e há oito está no Seminário Maior Imaculado Coração de Maria.  Geraldo dos Santos  Oliveira Dias conta que seu despertar pela vocação ao presbiterado se deu a partir da atividade missionária que realizava na comunidade de Engenheiro Dolabela (atualmente pertencente à paróquia Nossa Senhora da Conceição de Francisco Dumont, outrora pertencia à paróquia Senhor do Bonfim em Bocaiuva) no período entre 2006 a 2010. Em paralelo a essa atividade conta que fez uma longa e profunda experiência cristã, servindo a Cristo na comunidade de vida e aliança ‘Adorai’ em Bocaiuva. “O ápice do despertar de minha vocação ao ministério presbiteral se deu no ano de 2009, em pleno ardor missionário, quando o meu coração começou a inclinar-se para a vida consagrada sacerdotal, pois foi crescendo em mim o desejo de servir o povo de Deus como padre, tanto na dimensão cúltica/sacramental quanto no exercício da caridade e no cuidado do povo de Deus, como o Bom Pastor que cuida de suas ovelhas”.

O seminarista buscou orientação espiritual para esse desejo que o incomodava e destacou a importância de alguns padres que tiveram sabedoria ao orientá-lo. O primeiro mencionado foi padre Antônio Brígido de Lima, pároco da paróquia Senhor do Bonfim na época. Depois o religioso padre Arlindo Arsimar Rockenbach, pertencente aos Missionários da Sagrada Família eo padre Raimundo Donato.  A partir daí, em 2010, ele fez os encontros Vocacionais em Montes Claros na tentativa de buscar maior clareza no discernimento vocacional. “Graças a Deus, esses encontros, sob as orientações dos Reitores da Comunidade Propedêutica, na época padre Edvan Rodrigues Silva e padre Fernando Andrade, ajudaram-me no processo de discernimento vocacional, principalmente no tocante a perceber o agir de Deus na minha história e o meu propósito de seguir a Cristo, no discipulado e no propósito de entregar a minha vida inteiramente ao serviço dos irmãos e irmãs, com um olhar atento aos pobres e sofredores”.

Mas foi em 2011 que sua vida deu um salto. Ingressou na Comunidade Propedêutica São Pio X em Montes Claros, junto com outros cinco jovens. “O reitor dessa época era o Padre Fernando Andrade. Ele contribuiu muito no processo de minha formação presbiteral”.  Em 2012, entrou para o Seminário Maior Imaculado Coração de Maria para dar início aos estudos filosóficos e teológicos. “Aqui, presto a minha gratidão aos Reitores: Monsenhor Silvestre José de Melo, padre Fábio Vieira e padre Harlley Caldeira, pelo apoio e acompanhamento nesse período de intensa experiência comunitária e de fé em Jesus Cristo. Gratidão também aos professores, aos seminaristas da Província Eclesiástica de Montes Claros, aos funcionários, psicólogas e às pessoas que acreditam e colaboram, com apoio espiritual e econômico, na vocação presbiteral”.

Se o bom filho à casa torna, a experiência do ano pastoral de Geraldo se dá em Bocaiuva. Precisamente na paróquia Senhor do Bonfim, berço onde nasceu o despertar de sua vocação sacerdotal. Para ele, um período importante antes da ordenação diaconal e presbiteral. “Trata-se de um estágio pastoral em que o candidato ao ministério presbiteral passa a residir numa paróquia, com o intuito de inserir na dinâmica de vida paroquial, tanto na inserção pastoral quanto na dimensão administrativa. Esse período é importante para que o vocacionado coloque em prática aquilo que ele aprendera durante o tempo de Seminário. O Ano Pastoral é ainda um tempo em que o seminarista tem a oportunidade de confrontar-se com as diversas realidades e desafios que afligem a vida do povo de Deus. Tudo isso contribui para o discernimento e fortalecimento da fé do vocacionado à vida presbiteral”, disse confiante o seminarista já inspirado com o versículo bíblico que escolheu como lema de sua ordenação diaconal, tirado do Evangelho de João 12,26. “Onde estou, o meu servo também estará”. Para aqueles que desejam seguir a vocação, Geraldo exorta: “Jovem, não tenha medo de dizer sim à vocação presbiteral. Saiba que Deus jamais desampara aqueles que se entregam inteiramente ao serviço do Reino do céu. Cristo fará de ti luz das nações e instrumento de salvação para todos os povos”.

“Vale a pena doar e dedicar-se por amor a causa do Reino de Deus”
Ele é o oitavo dos dez filhos de João Barbosa de Souza e dona Elenice Barbosa dos Santos. Aos 33 anos de idade, Jânio César Barbosa dos Santos, natural da cidade de Salinas – MG revelou que foi na paróquia Santo Antônio de Salinas que deu seus primeiros passos na fé.  “O despertar da minha vocação se deu através do Grupo de Oração Ângelus em Salinas, no qual fui dando passos para discernir minha vocação sacerdotal, fiz experiência na Fraternidade dos Filhos da Pobreza do Santíssimo Sacramento de 2007 a 2011 por 4 anos  (Toca de Assis).  Passei por várias cidades como Bocaiuva- Governador Valadares- Sete Lagoas e Ribeirão Preto (SP), onde conheci as diversas realidades do sofrimento humano”. Lembrou que sua primeira missão na Toca de Assis foi na cidade de Bocaiuva, onde foi designado para a experiência do ano pastoral.

O seminarista disse que a experiência vivida, sobretudo com o Santíssimo Sacramento no encontro com o “próprio Cristo” nos pobres sofredores de rua, foi importante para o direcionamento e uma entrega maior que é o Sacerdócio. Continuei minha formação no Seminário Maior Imaculado Coração de Maria de 2011 a 2018.  “Neste período de ano pastoral espero conhecer bem o dia a dia da paróquia e suas diversas pastorais. Esse tempo é de suma importância para o candidato à vocação sacerdotal, pois é o momento de crescer, inserir com o Povo de Deus e apreender ter um coração de Pastor que serve e cuida do rebanho do Senhor”. “Eis que estou em vosso meio como Aquele que serve” (Lc 22,27) é a inspiração bíblica que Jânio pretende usar como lema para seu diaconado e presbiterado.

Aos jovens animou quanto à vocação: “Jovens não tenham medo de estarem abertos ao projeto de Deus. Ser sacerdote é abandonar e confiar à própria vida nos desígnios do Senhor. Ele é fiel para sempre, o Senhor nos afirma isso, ‘Eis que estou convosco todos os dias até o fim dos tempos’. (Mt 28,20). Por isso ‘Queridos Jovens, não tenhais medo de Cristo! Ele não tira nada, Ele dá tudo’ (Bento XVI). Vale a pena doar e dedicar-se por amor a causa do Reino de Deus”.

__________________________________________________________________

***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros
Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384
e-mail: [email protected] 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook