Notícias

O sacerdote e a carmelita no altar!

No Carmelo Maria Mãe da Igreja e Paulo VI em Montes Claros, as monjas também se dedicam à produção de partículas que depois de consagradas pelo sacerdote, se tornam Hóstias. Depois de mais de 40 anos de história, tradição, oração e fé, as carmelitas falam sobre esse trabalho que além de minucioso, cuidadoso, delicado e repleto de sentidos, também está entre as inúmeras responsabilidades diárias que as enclausuradas desenvolvem dentro do Carmelo.

Em conversa com a madre superiora, Maria Tereza Margarida, acompanhada da irmã Maria Letícia, uma das monjas responsáveis pela produção (até o dia da entrevista), elas explicaram o minucioso processo de fabricação que inicia ainda de madrugada e que garante de alguma forma o sustento das religiosas.  “A produção das partículas de hóstias em nosso Carmelo é, debaixo da Divina Providência, o meio de adquirir recursos financeiros para o sustento do mosteiro. Há mais de 40 anos Deus nos mantém aqui com Sua mão prodigiosa, onde, por meio de muitos corações generosos e mãos amigas que colaboram no nosso sustento, vemos a confirmação de nossa vocação e missão contemplativa desejada por Deus a serviço da Igreja, de modo especial em nossa arquidiocese”. 

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DAS PARTÍCULAS: Elas começam ainda de madrugada. No dia anterior o trigo é peneirado. “Despertamos às 4:45 e colocamos a massa para bater antes de rezarmos Laudes às 5h10. Deixamos bater por aproximadamente 30 minutos e a massa descansa um pouco. O segundo passo é assar as pastas que são colocadas em uma sauna para umedecer. O Processo de assar leva quase toda a parte da manhã, quando fazemos uma quantidade grande. À tarde guardamos as pastas umedecidas e só no dia seguinte é que a cortamos. Encerrado este processo, fazemos a seleção das hóstias antes de empacotar e selar”, explica irmã Maria Letícia, o longo e trabalhoso processo: “Para assar as pastas, o processo é contínuo. Depois temos que aguardar umedecer o suficiente (as vezes guardamos durante a noite, quando fazemos uma quantidade maior que a de costume)  porém, só cortamos no dia seguinte.

Os ingredientes utilizados são água e trigo.  A produção é de 15 kg de farinha especial (quando a farinha não é de boa qualidade as pastas racham ou grudam na máquina e desperdiça muito), informa. A máquina nova que ganharam só aceita farinha de primeira linha. Para a quantidade de farinha indicada, são produzidos em média 17 pacotes/dia. As monjas aumentam e ou diminuem a fabricação de partículas de acordo com a demanda.  A produção que mais sai são as Magna (tamanho médio), depois CD (são chamadas assim porque são do tamanho de um CD), comumente usadas em celebrações solenes e as de tamanho padrão/ pequena. O pacote é vendido ao preço de R$ 10,00.

No momento da entrevista, elas fizeram um apelo ao clero da arquidiocese de Montes Claros para que passassem a consumir o produto produzido por elas no Carmelo, assim, ajudariam também na manutenção do mosteiro, e fizeram um pedido direto a eles que transcrevemos abaixo:

Caros sacerdotes de nossa querida arquidiocese de Montes Claros, nós carmelitas, na missão apostólica sob as bases da oração e do silêncio, buscamos também com o labor de nossas mãos, oferecer à Igreja de Cristo o fruto deste trabalho feito com amor e dedicação para que vossas mãos ungidas pela ação do Espírito Santo, possam “completar a obra começada” nesse grande edifício espiritual que é o Corpo de Nosso Senhor. O sacerdote e a carmelita no altar! Nossos trabalhos em suas mãos vão se tornar o sustento no tempo e na eternidade de almas famintas e sedentas do Verdadeiro Alimento – o Amor. Ele próprio disse: “Daí – lhes vós mesmos de comer” (Mt. 14,16) para nos mostrar que somos e estamos n’Ele sempre que somos e estamos para o próximo. Logo precisamos uns dos outros, pois precisamos de Cristo!

As carmelitas acreditam que em meio à busca perseverante na oração e intercessão, o trabalho de produção das partículas é um constante louvor a Deus. “Que os dons recebidos d’Ele sejam postos nas mãos dos operários da grande messe. Zelosos e animados, como viveram os primeiros cristãos, estejamos sempre mais unidos pelos laços de “comunhão fraterna, alegria e simplicidade de coração” (At. 2,42.46).  Que Nossa Mãe Santíssima do Carmo nos ensine a fazer de nossa vida um ato contínuo de amor a Deus. Deus lhes pague!

Algumas paróquias de Montes Claros já consomem as partículas produzidas pelas carmelitas. Elas começaram também a fornecer para outras cidades como Cachoeiro do Itapemirim, Divinópolis, Taiobeiras, Juramento justamente pela qualidade do produto ofertado.

PARA PEDIDOS:
Encomende pelo telefone: (38) 3212-4260.
Horários de atendimento: 9h às 11h e 15h às 17h.
Valor: R$ 10,oo

___________________________________________

***Viviane Carvalho – Assessoria de Comunicação e Imprensa da Arquidiocese de Montes Claros – MG
Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384
e-mail: [email protected] 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook