Notícias

“Onde há pessoas, ali somos chamados a exercer nossa missão”

“Ser discípulo de Jesus significa colocar os pés onde Jesus tirou os dele”, disse dom João Justino de Medeiros Silva, arcebispo de Montes Claros, ao presidir na noite de sábado (10), a festa de São Lourenço, patrono dos diáconos.   A celebração eucarística por ocasião da data festiva foi realizada na matriz de Nossa Senhora de Montes Claros e São José de Anchieta, localizada no bairro Maracanã. Concelebraram com dom Justino os padres jesuítas, responsáveis pela paróquia. As esposas, familiares e amigos também participaram da celebração.

Já somam dezessete anos que a Arquidiocese de Montes Claros conta com o serviço diaconal de 43 homens casados. No convívio com a família, trabalho e comunidade eclesial eles se dedicam doando seu tempo ao ministério ordenado. Durante a homilia, o pastor da Igreja Particular pediu licença à comunidade e dirigiu palavras apropriadas aos diáconos por ocasião da data. “Onde há pessoas, ali somos chamados a exercer nossa missão”. Falou da importância do testemunho que devem dar nas três dimensões vividas pelo diácono permanente. (Família, trabalho e comunidade eclesial). Lembrou que não pode faltar na missão do diácono o cuidado preferencial pelos pobres. O zelo pelos menos favorecidos deve fazer parte do ministério de cada um, aconselhou dom Justino.

Durante a missa foram lembrados com carinho os diáconos falecidos, também familiares dos diáconos como a Letícia – esposa do diácono Osmar, o sogro do diácono Wander e o cunhado do diácono Fernando. Ao final, uma confraternização marcou o dia dos diáconos para estes homens que se doam na ministério do diaconado para promover uma Igreja em saída como nos pede o papa Francisco.

Entenda o que é o diaconato permanente: Eles podem batizar, assistir casamento, levar a Eucaristia aos doentes, presidir funerais, presidir a Palavra entre tantas outras funções designadas a eles, como ministros ordenados da primeira ordem na Igreja, mas não são padres. O ministério eclesiástico, que é o ministério dos homens dedicados ao serviço de Deus, compreende três diferentes graus do sacramento da ordem sacerdotal: os bispos, os sacerdotes e os diáconos. Dois destes graus participam ministerialmente do sacerdócio de Cristo: a ordem episcopal, correspondente aos bispos e a ordem do presbiterado, correspondente aos padres.   No entanto, a doutrina católica estabelece que o grau de diaconado é um grau de serviço, estabelecido desde a época dos apóstolos, como testemunham os Atos dos Apóstolos e a Carta de São Paulo a Timóteo: “Naqueles dias, como crescesse o número dos discípulos, houve queixas dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas teriam sido negligenciadas na distribuição diária. Por isso, os Doze convocaram uma reunião dos discípulos e disseram: Não é razoável que abandonemos a palavra de Deus, para administrar. Portanto, irmãos, escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais encarregaremos este ofício. Nós atenderemos sem cessar à oração e ao ministério da palavra. Este parecer agradou a toda a reunião. Escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo; Filipe, Prócoro, Nicanor, Timão, Pármenas e Nicolau, prosélito de Antioquia. Apresentaram-nos aos apóstolos, e estes, orando, impuseram-lhes as mãos.” (Atos 6, 1-6)

Diakonia é a palavra grega que define a função dos diáconos. Esta palavra significa serviço, e é de tanta importância para a Igreja, que se confere por um ato sacramental chamado “ordenação”, ou seja, pelo sacramento da Ordem.  Santo Inácio de Antioquia comentou a importância dos diáconos: “Que todos reverenciem os diáconos como Jesus Cristo, como também o bispo, que é imagem do Pai, e os presbíteros, como o senado de Deus e como a assembleia dos apóstolos: sem eles, não se pode falar de Igreja” (Trall. 3, 1).

Mas qual é o serviço que os diáconos prestam à Igreja? “Os diáconos participam de modo especial na missão e na graça de Cristo. O sacramento da Ordem marca-os com um selo (‘caráter’) que ninguém pode fazer desaparecer e que os configura com Cristo, que se fez ‘diácono’, isto é, o servo de todos. Entre outros serviços, pertence aos diáconos assistir o bispo e os sacerdotes na celebração dos divinos mistérios, sobretudo da Eucaristia, distribuí-la, assistir ao Matrimônio e abençoá-lo, proclamar o Evangelho e pregar, presidir aos funerais e consagrar-se aos diversos serviços da caridade.” (Catecismo da Igreja Católica, 1570)

___________________________________________

***Viviane Carvalho – Assessoria de Comunicação e Imprensa da Arquidiocese de Montes Claros – MG
Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384
e-mail: [email protected] 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook