Notícias

Professor da Unimontes analisou a temática da linguagem humana em módulo de Escola de Fé e Política

“Enquanto Paulo os esperava em Atenas, ficou revoltado ao ver a cidade cheia de ídolos. Por isso, discutia na sinagoga com os judeus e pagãos que adoravam o Deus único. E todos os dias discutia em praça pública com aqueles que ia encontrando. Também alguns filósofos epicureus e estóicos começaram a conversar com ele. Alguns diziam: O que está querendo dizer esse charlatão? Outros diziam: Deve ser um pregador de divindades estrangeiras. Porque Paulo anunciava Jesus e a Ressurreição. Tomando Paulo consigo, o levaram ao Areópago, dizendo: Podemos saber qual é a nova doutrina que você está expondo? De fato, as coisas que você diz soam estranhas para nós. Queremos, portanto, saber do que se trata.

Com efeito, todos os atenienses e os estrangeiros residentes passavam o tempo a contar ou a ouvir as últimas novidades. De pé, no meio do Areópago, Paulo disse: Senhores de Atenas, em tudo eu vejo que vocês são extremamente religiosos. De fato, passando e observando os monumentos sagrados de vocês, encontrei também um altar com esta inscrição: Ao Deus desconhecido. Pois bem, esse Deus que vocês adoram sem conhecer é exatamente aquele que eu lhes anuncio. O Deus que fez o mundo e tudo o que nele existe. Sendo Senhor do céu e da terra, ele não habita em santuários feitos por mãos humanas. Também não é servido por mãos humanas, como se precisasse de alguma coisa. Pois é ele que dá a todos vida, respiração e tudo o mais.

De um só homem, ele fez toda a raça humana para habitar sobre a terra, tendo fixado os tempos previamente estabelecidos e os limites da sua habitação. Assim fez para que buscassem a Deus e para ver se o descobririam, ainda que fosse às apalpadelas. Ele não está longe de cada um de nós, pois nele vivemos, nos movemos e existimos, como alguns dentre os poetas que vocês disseram: Somos da raça do próprio Deus. Sendo, portanto, da raça de Deus, não devemos pensar que a divindade é semelhante ao ouro, à prata ou à pedra, trabalhados pela arte e imaginação do homem.

Mas Deus, sem levar em conta os tempos da ignorância, agora anuncia aos homens que todos e em todo lugar se arrependam, pois ele estabeleceu um dia em que irá julgar o mundo com justiça, por meio do homem que designou e creditou diante de todos, ressuscitando-o dos mortos. Quando ouviram falar de ressurreição dos mortos, alguns caçoavam e outros diziam: Nós ouviremos você falar disso em outra ocasião. A essa altura, Paulo saiu do meio deles. Alguns, porém, se uniram a ele e abraçaram a fé. Entre esses estavam também Dionísio, o areopagita, uma mulher chamada Dâmaris e outros com eles”.

Com o Capítulo 17, versículos de 16 ao 34 dos Atos dos Apóstolos, o professor da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Antônio Wagner Veloso Rocha, abriu os trabalhos do segundo módulo da Escola de Formação em Fé e Política para Cristãos Leigos da Arquidiocese de Montes Claros, desenvolvido no Colégio Berlaar Imaculada Conceição em 29 de junho de 2019, sábado. Ministrou o módulo “Filosofia e Ciência Política”. Quando se estuda Filosofia, depara-se com questionamentos. Os filósofos nascem no meio do povo. Não são da casta aristocrática grega, explicou Wagner Rocha, que é formado em Filosofia e em Letras/Português. Os dois cursos feitos na Unimontes. Jesus era um homem movido por paixões. A consciência crítica é aquela que permite as pessoas abandonar a consciência ingênua. Quando você aprofunda o problema, você vai às raízes das questões, relacionou.

O professor Wagner Rocha passou a analisar a temática da linguagem humana. O homem é um ser que fala. A linguagem mantém acesa a chama da religião. A linguagem também mantém a chama da política. Retórica é a arte de falar bem. Há o Ethos que vai dar credibilidade para a fala do orador, o Logos que está associado aos dados quantitativos e qualitativos e o Pathos, quando o orador tem que tocar o coração do público. Há aquele que fala (o orador) e há aquela que escuta (a audiência). Para Platão, a Retórica pela Retórica não produz conhecimento. Já Aristóteles procura harmonizar Filosofia e Retórica. Na Retórica, tem-se a oratória (palavra oral) e a estilística (palavra escrita). A Hermenêutica procurará esclarecer os fatos. O Hermetismo busca causar confusão na cabeça das pessoas.

Por isso, é necessário analisar a questão dos discursos, as retóricas existentes na contemporaneidade. Discutir os aspectos da linguagem. A neutralidade não existe. Cada pessoa possui um lado. Não existe religião neutra, ciência neutra, nem juiz neutro, afirmou o professor Wagner Rocha, que confessou sua tristeza com o resultado do Conselho da Unimontes em conceder título de doutor honoris causa ao atual prefeito de Montes Claros, Humberto Guimarães Souto. Dezessete conselheiros votaram a favor do título. Seis conselheiros se posicionaram contra a concessão. Os títulos de homenagem na sociedade capitalista estão vulgarizados, pois determinam a valorização daqueles que detêm poder econômico disfarçado de poder político.

 

Texto e foto: João Renato Diniz/ Jornalista

___________________________________________

***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros
Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384
e-mail: [email protected] 

 

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Artigos de Dom José Alberto

Arcebispo Emérito de Montes Claros (MG)

REVISTA

 

ENQUETE

“A Comunidade que contempla o Rosto das Juventudes” é o tema para o Ano Nacional de qual ano?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...

Facebook