Artigos

A decisão de tornar-se discípulo de Jesus

“Se alguém quer vir após mim, renuncie a si mesmo, tome sua cruz a cada dia e siga-me.” (Lc 9, 23). Um itinerário desafiante, mas imprescindível para o seguimento de Jesus: a renúncia de si. Parece um tanto curioso esse termo: renuncie a si mesmo. Porém, para o discipulado de Cristo, a renúncia está no cerne do chamado a segui-Lo. A primeira experiência com o amor de Deus nos impele ao seguimento. Apaixonamo-nos por Jesus, pela Igreja e pelos ensinamentos do Mestre. A vida de Jesus entusiasma e desperta em nós o desejo de conformar nossa vida a Dele. Para tanto, um profundo mergulho dentro de nós mesmos se faz necessário; adentrar lugares, até então, desconhecidos e escuros em nós, é um dos meios de assemelharmos nosso caminho ao de Jesus, permitindo que Sua luz dissipe as trevas do nosso ser.

Renunciar a si pode parecer uma tarefa insuportavelmente difícil de cumprir, visto que há tantas coisas que nos atrai que parece nos preencher e alimentar em nós o entendimento de que não podemos nos desfazer de tais coisas. Mas essa renúncia de si é a renuncia do mal existente em nós, que está enraizado no mais profundo de cada um, num lugar em que somente Deus tem pleno conhecimento, mas só terá plenamente acesso e ação com a nossa permissão. Cada um sabe o mal profundo que existe em si. Para alguns é o egoísmo, para outros o orgulho, ou a ira, talvez a inveja; males que, por estarem tão profundamente enraizados, muitas das vezes até nos acostumamos, acreditamos que faz parte do nosso temperamento ou personalidade, e dificultamos a graça de Deus de agir em nós e por meio de nós.

Esse mal enraizado se opõe à liberdade que Cristo nos alcançou. E para um seguimento autêntico, a liberdade é uma chave imprescindível para os primeiros passos dessa caminhada. É preciso liberdade em escolher seguir ou não Jesus Cristo, e é ainda mais necessário viver profundamente a liberdade em escolher a pessoa de Jesus e não o que Jesus representa ou faz e tem. Escolher o Mestre, porque nos apaixonamos por Ele, por Sua essência, isso nos torna verdadeiramente Seus discípulos. Segundo o papa São João Paulo II, quando conformamos nossas vidas a vida de Jesus, vivendo com Ele o amor e o serviço ao próximo, adquirimos a verdadeira liberdade para respondermos ao Seu chamado.

Assim, quando nos decidimos por Jesus e por Sua boa nova, o reino de Deus começa a acontecer dentro de nós e a nossa volta. Para conhecer o Senhor basta ler e orar com a Palavra de Deus. É por meio dela que conhecemos o Mestre e aprendemos a segui-Lo. É por meio da oração que o Espírito Santo nos fortalece e nos auxilia na caminhada. É Ele que nos concede o dom da decisão, da liberdade, da escolha por Deus e Seu Reino. Quem se decide pelo Senhor, opta pela vida, para si e para o outro. Portanto, “permanecei firmes e livres em Cristo, de tal modo que O espelheis em tudo o que fizerdes; abraçai com todas as vossas forças o seguimento de Jesus, conhecei-O, deixai-vos convocar e instruir por Ele, anunciai-O com grande alegria”. (PAPA FRANCISCO, noticiascancaonova.com / acesso em 09 de setembro).

 

Texto de Jéssica Magalhães Xavier/Graduada em Letras Inglês
Pós graduada em Psicopedagogia Clinica e Institucional
Pós graduada em Neuroaprendizagem e Transtorno do Aprender

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

 
 « ‹fev 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...