Notícias

A Missionariedade dos cristãos leigos foi tema da reunião do Setor Centro

A Paróquia São José Operário sediou a reunião do Setor centro deste mês de agosto. Participaram 30 pessoas, sendo 02 padres, 03 diáconos e demais representantes de 12 paróquias do total de 24 do setor centro.  Depois da acolhida e oração inicial, o agente de pastoral da Paróquia São Norberto, Gê Borges, foi convidado a discorrer sobre o tema: “A Missionariedade dos cristãos leigos”.  Em sua fala, lembrou que ao chegar mais cedo que os demais, observava como todos se abraçavam e cumprimentavam. Isso lhe chamou a atenção. “Este chamamento para o despertar dos cristãos não é novidade na igreja. O papel e a missão do leigo, bem como o cuidado, o zelo, a convocação e o clamor à participação do mesmo estiveram presentes também no Concílio Vaticano II”, reforçou.

Em determinados momentos de sua fala, Borges citava trechos usados na conferência de MEDELLÍN (1968): “Os leigos cumprirão mais cabalmente sua missão de fazer com a Igreja aconteça no mundo, na tarefa humana e na história”. Em PUEBLA (1979): “São homens e mulheres da Igreja no coração do mundo e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja”; Em SANTO DOMINGO (1992): “protagonistas da transformação da sociedade” e em APARECIDA (2007): “maior abertura da mentalidade para que entendam e acolham o ser e o fazer do leigo na Igreja”, que reforçam a importância do papel do leigo. O leigo, deu a todos uma abertura para a partilha e esclareceu a importância da missão que cada um é chamado a realizar desde que se tornam cristãos.

PROTAGONISMO DO LEIGO: Enfatizou que o leigo é protagonista da evangelização e que a partir do encontro com o Nosso Senhor Jesus Cristo, este clamor proporciona ao leigo a descoberta, a importância, o espaço e o respeito pelo outro. Lembrou que Bento XVI nos deixou a mensagem que o leigo tem missão própria, com responsabilidades e não é um mero auxiliar nas igrejas. Disse ainda que estamos vivenciando um momento bonito e importante, que nos entusiasma ao nos apresentar um Cristo alegre e acolhedor.

RESPONSABILIDADE: É na igreja doméstica que aprendemos a vivenciar o amor, o cuidado e a distribuir as responsabilidades, lugar onde todos se sentem parte. Devemos levar este aprendizado para o trabalho na igreja. Esta é a verdadeira conversão. Mudar o nosso jeito de viver, de ser, de celebrar. É isto que dá sentido ao nosso modo de ser igreja, pontuou Borges.

REFLEXÃO: Ao questionar os participantes que o ouviam disse: Porque diante de tanta tecnologia, não descobrimos ainda de onde vem a alegria e a vibração que tantas pessoas encontraram ao darem as suas vidas pela igreja e por Jesus? Como ser sal e luz do mundo? Como ver, julgar e agir diante de tantas necessidades que nos cercam? Qual o nosso espaço e campo para a missão? A que viemos? O que fazemos aqui? Qual o nosso papel? O que nos falta para sermos famílias missionárias? É preciso estarmos em estado permanente de missão, atentos, dispostos a sermos de fato uma igreja em saída, ao encontro dos irmãos e irmãs afastados ou que ainda não estejam na mesma sintonia. O que devemos fazer para que os diversos grupos, movimentos e pastorais sejam de fato uma igreja em saída? Qual deve ser a nossa ação? Estes questionamentos devem ser refletidos exaustivamente por todas as pessoas envolvidas na missão nas diversas paróquias, comunidades e pastorais.

EQUILÍBRIO: Ser sujeito eclesial é ser maduro, em contínua busca. Aquele que gasta e se desgasta em prol do reino. Aquele que sabe que, seguir Jesus tem também as suas dores e as suas responsabilidades. É preciso às vezes, abrir mão de algo por um valor maior, crucificar uma vontade, um tempo. É preciso caminhar de forma equilibrada, nos diversos ambientes: família, convívio social, lazer, igreja, trabalho. É necessário desafiar o medo e o perigo da missão. Devemos caminhar na luz, na fé e na graça do Senhor, sempre com o espírito de partilha, com coragem e comunhão. Por fim nos lembrou que não se atravessa um deserto sozinho, é preciso um ombro irmão para nos suportar e dividir conosco o prazer da caminhada e da conquista.  A próxima reunião do setor centro será realizada em outubro, em data a ser definida pela equipe central e será na Paróquia São Sebastião, às 19h30.

*Informações enviadas por Maria Tereza Abreu Versiani.
Fotos: Danilo Martins

____________________________________________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros
Contatos: (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...