Voz do Pastor

ABRIR CAMINHO

Na vida todos somos chamados a ajudar a abrir caminho para também outros passarem. Quem abre caminho só para si pode ver-se isolado numa vida sem sentido, mesmo tendo tudo o que é matéria e oportunidades acumuladas. Não adiantaria, por exemplo, termos muito dinheiro, mas sem comida para comprar. Morreríamos de fome.

Muitos morrem de fome de ideal, de serviço prestado com amor, de oportunidade de mostrar que é humano, misericordioso e comprometido com o bem do semelhante, a exemplo do bom samaritano. Achar-se melhor e discriminar, só ajudar os de seu grupo, família, partido, religião e só a quem vai retribuir sua ajuda, diminui o valor de si mesmo.

Muitos abastados e cheios de poder e possibilidade poderiam mostrar sua grandeza de pessoas convertendo-se para servir a quem não é servido. A opção evangélica preferencial pelos pobres leva a pessoa, mesmo de posses, a se colocar dentro da pobreza ensinada por Jesus, entendida não para não se ter nada e sim para usar tudo na perspectiva de servir a quem não é servido. Há os que até fazem a opção de viverem com o mínimo para servir o máximo, também com o testemunho do desapego e de uma vida modesta e simples. Mostram que a vida presente é muito fugaz e vale a pena vivê-la para amar e servir, como Jesus fez. Assim, quem tem, deve usá-lo para servir. O ter não é finalidade de vida e sim o amar e servir.

Jesus abriu caminho para nós todos, levando-nos à realização do projeto de Deus. Ele nos faz mais humanos e promoveremos a vida digna para todos, mesmo com a doação total e o sacrifício da própria vida. Para isso, Ele mostrou, em seu poder de fazer milagres, a luz da vida física e a luz da vida de sentido para andarmos no caminho da realização humana. Curou cegos, surdos, mudos, paralíticos, leprosos… Perdoou pecados, além da cura física. (Cf. Marcos 7,31-37 e outros).

Quem tem a visão correta da vida, com o porquê de Deus que a outorgou, sabe dar de si para abrir caminho a quem não sabe para onde ir. Assim, torna-se pessoa que se compromete com o diálogo e o entrosamento com outros na comunidade. Atua em causas de interesses de promoção do exercício dos serviços comunitários privados e públicos. Ajuda no   encaminhamento da boa educação, saúde, moradia, conscientização de políticas públicas de inclusão social e outros.

A luz da fé multiplica a visão da solidariedade e da prática do benefício dos empobrecidos. Leva as pessoas  à evangelização transformadora para viverem na solidariedade e na verdadeira fraternidade.

José Alberto Moura, CSS / Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

 

 

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹ago 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...