Artigos Artigos de Dom João Justino Notícias

Catequistas, fazei ecoar a Palavra de Deus

Dom Joao Justino Primeira Comunhão

A Igreja no Brasil celebra o Dia do Catequista no último domingo de agosto, mês das vocações. Recordo-me com saudades e com carinho de meus catequistas. Ir. Vilma e Ir. Antônia, catequistas para primeira eucaristia. Para a catequese de perseverança e crisma foram Ir. Lídia e Ir. Agathângela. Essas religiosas catequistas, da Congregação das Irmãs dos Santos Anjos, deixaram marcas profundas em minha vida cristã. Junto delas homenageio o Sr. Pedro Ragazzi, leigo casado, pai e cuidadoso catequista. Ele nos acolhia na sacristia da igreja paroquial para nos ensinar sobre a missa e nos preparar para servir o altar. Foi o nascedouro de minha aproximação do altar, tornando-me coroinha.

Nesta data, agradeço aos milhares de catequistas da Arquidiocese de Montes Claros que, em quase 1200 comunidades urbanas e rurais, se dedicam com esmero e zelo na educação da fé de crianças, jovens e adultos. Nutro por todos enorme gratidão. Cada catequista é um verdadeiro discípulo missionário que deu o passo, importante e necessário, de “dar de graça o que recebeu de graça” (Mt 10, 8). Louvo e bendigo a Deus pela história da Igreja nesse chão norte-mineiro, banhado pela fé de homens e mulheres catequistas.

Os pilares da ação evangelizadora – Palavra, Pão, Caridade e Missão – encontram nos catequistas excelentes cooperadores. Toda a catequese se inspira na Palavra de Deus. Cada encontro é ocasião de propor a escuta da Palavra e deixar que ela se torne luz para os passos. Quem descobre a riqueza da Palavra sente-se impelido a levá-la a outros. Qual semente em terra fértil, vai produzir muitos frutos. Como é bonito ver um encontro catequético em que todos os participantes têm nas mãos a bíblia sagrada!

A catequese, ao anunciar a Palavra, propõe o seguimento de Jesus e destaca a importância dos evangelhos para a vida cristã. Daí decorre o cultivo da espiritualidade discipular e o encontro com Jesus nos sacramentos da Igreja, em especial, o batismo, a crisma e a eucaristia. Pela missão dos catequistas, as comunidades, sem cessar, realizam a educação da fé no processo de iniciação à vida cristã. Cresce na Igreja o cuidado de propor a adesão à fé em Jesus Cristo e à vida comunitária eclesial. A catequese qualifica a vida dos batizados para a participação na assembleia litúrgica, especialmente na celebração eucarística. O desdobramento da fé, professada em práxis de fé, aponta para o pilar da caridade, qual expressão viva de uma pertença a Cristo e à Igreja. O cristão não descuida do serviço solidário aos mais pobres. Desde o início da catequese há de se apresentar o Menino de Belém, qual Verbo Encarnado para a salvação do mundo. E a salvação passa por reconhecê-lo presente nos pequenos e abandonados e pela caridade evangélica.

Quando a catequese tem o adequado acento missionário ela tende a despertar nos catequizandos o amor à missão, um dos traços do cristianismo. O interesse missionário, em especial das crianças e adolescentes, há de ser valorizado por experiências de sair ao encontro dos outros, de valorizar a riqueza de outras culturas e de testemunhar a fé. Dos catequistas eu ouvi muitas histórias de missionários. Não sabia eu que o Espírito de Deus já atuava naquelas histórias para provocar-me ao passo do serviço eclesial, como padre. O mesmo Espírito age nos catequistas destes tempos para falar de Cristo, da fé e do Reino. Aumentem os seguidores do Evangelho que se disponham a ser exímios catequistas.

+ João Justino de Medeiros Silva
Arcebispo Metropolitano de Montes Claros

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...