Notícias

Dois diáconos serão ordenados padres, neste sábado!

No dia 15 de fevereiro de 2020, às 9h, na Paróquia São João Batista, no bairro Alto São João, em Montes Claros, dois diáconos serão ordenados padres, por imposição das mãos do Arcebispo Metropolitano, dom João Justino de Medeiros Silva. Os diáconos Fredson Silva Araújo e Rodrigo da Silva, após serem ordenados, deverão servir às paróquias de Santo Antônio da Boa Vista (São João da Ponte) e Nossa Senhora da Conceição (Jequitaí), sucessivamente, com a missão de vigários paroquiais.

Sobre o diácono Rodrigo da Silva: Ele tem 38 anos, é natural de Porto firme- MG. Seus familiares são residentes na comunidade rural de Santo Antônio das Posses, um pequeno distrito com ocupação de 100 famílias.  Ele é o primeiro de três irmãos, filhos do Casal Paulo Germânio Procópio (já falecido) e Maria Ambrósia da Silva Procópio.

Rodrigo conta que sentiu o desejo para seguir a vocação aos 16 anos de idade. Porém, devido à falta de orientações sobre como fazer, qual caminho seguir e qual discernimento tomar, conseguiu entrar na comunidade Propedêutica, em Barbacena – MG, aos 22 anos.  “Minha decisão gerou estranheza na família. Todos imaginavam que eu me tornaria um pai de família no futuro, e não um sacerdote. Durante 9 anos de formação para o ministério sacerdotal, pude aprender a enfrentar as lutas e desafios vividos pelo povo de Deus, em defesa da fé e da propagação do Evangelho. Seguir o discipulado com Jesus Cristo não é uma tarefa fácil, mas compensadora”, revelou.  “Para aqueles que desejam ser padres, digo que vale a pena seguir o sonho e não desanimar diante das barreiras que o mundo apresenta. O chamado de Deus vem a nós, e Ele mesmo se encarrega de nos amparar”.

Com o lema: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome eu estarei ali no meio deles!”  (Mt 18,20), o evangelista nos impulsiona a sermos verdadeiros discípulos e missionários do Reino, pois o Verbo encarnado, palavra eterna do Pai, precisa ser levado aos quatro cantos da terra e principalmente entre as pequenas comunidades, onde urge a presença do Deus vivo e restaurador, concluiu o futuro padre.

Sobre o diácono Fredson Silva Araújo: O filho de Celson Batista Araújo (falecido) e dona Maria Arlete Silva Araújo, tem 35 anos de idade e nasceu em Montes Claros. Seu único irmão é mais novo que ele. O diácono Fredson conta que seu desejo ao chamado sacerdotal nasceu desde muito cedo, lá por volta dos 8 anos de idade, após a sua primeira comunhão, na Paróquia Menino Jesus de Praga. “Ao longo dos anos, conforme o tempo passava, a semente plantada em meu coração também foi alimentada por Deus ao longo da minha vida. Essa pequena planta foi crescendo e se desenvolvendo no tempo de Deus”, endossou o diácono.

O futuro padre falou de sua experiência com o Encontro de Adolescentes com Cristo (EAC) na paróquia São João Batista em Montes Claros, sua atual paróquia, e foi nesse encontro que recebeu um forte sinal para se consagrar a Deus, pelas mãos de Maria Santíssima. “Fui convidado a pertencer, na época, a Associação Nossa Senhora de Fátima – hoje conhecida como Arautos do Evangelho. Nesse período já havia completado 14 anos de idade. Um momento sublime em minha vida. A comunidade e sua espiritualidade me ensinou a amar a Jesus e o chamado sacerdotal”, e continuou: “Aos 18 anos, marcado pelo desejo de se tornar um sacerdote, conforme o Senhor havia me indicado, fui aceito pela graça de Deus no Seminário Maior Nossa Senhora das Graças, em Olinda e Recife, no estado de Pernambuco.  Uma terra abençoada por Deus, cujo povo, me cativou pela sua fé e devoção. Depois de quase quatro anos se instalou em meu peito uma dúvida quanto ao sacerdócio religioso. Depois de terminar o curso de Filosofia decidi continuar minha caminhada vocacional na ordem dos Cônegos Regulares da Santa Cruz, cuja espiritualidade fundamentada na vida contemplativa em volta dos Santos Anjos de Deus adoradores do Senhor e da sua paixão, me ajudou a estar mais perto do Coração de Jesus sacerdote apaixonado pelo Reino do Pai. Fiquei na ordem por seis anos, em seguida, voltei para minha cidade natal no Seminário Maior Imaculado Coração de Maria, com a certeza de que Deus havia me chamado para o ministério sacerdotal diocesano, mais perto do Povo de Deus”.  Depois de oito anos na comunidade formativa, concluiu os estudos. Para cumprir seu ano pastoral, foi enviado à Paróquia São José Carpinteiro e Maria de Nazaré, no bairro Independência, em Montes Claros.  Ali mesmo, foi ordenado diácono transitório em 31 de agosto de 2019.

Fredson tem orgulho de sua família simples e religiosa. Foi nela que recebeu os ensinamentos de Deus e de sua Santa Igreja. Foi no seio da família que encontrou a motivação para seguir a caminhada vocacional. “Tem sido minha base, muito me ajudou a ser tudo o que sou hoje, como homem de Deus e da sua palavra. Somos uma família unida em Deus e mais ainda com uma vocação sacerdotal nascida em seu seio, motivo de muitas felicidades por todos. A todos e a cada um deles uma singular gratidão”, concluiu o diácono, afirmando a importância de se ouvir o chamado e ir em busca da vocação: “O sacerdote foi chamado por São Cura d’Ars como o Coração de Jesus. Segundo o ditado latino “Agitur secundum essere”, seu modo de agir deve estar em conformidade com a sua essência, ou seja, a essência do sacerdote está intimamente ligada a Jesus, motivo pelo qual nossa caminhada vocacional se assemelha em quase tudo a missão e vida do Divino Mestre. Um vocacionado com tamanho chamado deve buscar no hábito da oração, a meditação da Palavra de Deus e a vivência das virtudes evangélicas e assim, renovar continuamente suas forças e buscar uma intimidade com Aquele que nos sustenta com a sua graça. Somente desta forma, um vocacionado pode vencer os obstáculos da solidão, do desapego as pessoas, da incompreensão, julgamentos e perseguições assim como tantos outros vividos por Jesus Cristo. Viver o evangelho significa acolher todas elas com amor. Talvez o maior desafio do vocacionado no mundo atual passa por carregar a cruz do dia a dia assim como Jesus carregou, com amor. E saber que a salvação das pessoas depende da santidade com a qual somos chamados a desempenhar o nosso ministério o sacerdotal. O chamado deve ser obediente aos ensinamentos de Jesus na doação plena da sua vida. As palavras do Santo Cura d’Ars “ O sacerdote é o amor do Coração de Jesus”, finalizou.

_________________________________________
***Viviane Carvalho – Jornalista / Assessora de Comunicação e Imprensa da Arquidiocese de Montes Claros – MG  Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384  e-mail: [email protected]

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

 
 « ‹jun 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...