Notícias

É preciso assumir!

A Província Eclesiástica de Montes Claros, composta pela Sede Metropolitana e Dioceses de Paracatu, Januária e Janaúba em parceria com o MAM – Movimento dos Atingidos pela Mineração, as comunidades tradicionais, geraizeiras, ribeirinhas, as comunidades eclesiais de base, a Comissão Pastoral da Terra e Pastorais Sociais, realizaram o 1º Seminário Provincial sobre Igreja, Mineração, Laicato e os impactos socioambientais no Norte e Noroeste de Minas.

Depois do café, a organização do seminário preparou o momento de oração com a participação e envolvimento de atores diretamente envolvidos nas causas sociais da Igreja. Em seguida se deu a composição da Mesa (Padre Reginaldo Wagner – Coordenador de Pastoral, Dom Ricardo Brusati – Bispo de Janaúba e Dom José Alberto Moura – Arcebispo da Arquidiocese de Montes Claros.

Em sua fala, Dom Moura destacou a importância dessa mobilização envolvendo as  quatro dioceses que fazem parte da Província Eclesiástica: “ Alegramos com a presença de todos nesse nosso seminário que foi solicitado durante reunião da Província. O Tema é pertinente e envolve a todos nós que somos do Norte e Noroeste de Minas Gerais. Ouvimos na leitura do Deuteronômio durante oração inicial que o ser humano comerá o pão sem escassez. E essa dura realidade desses nossos sertões mostra que a terra é seca mas tem uma vitalidade muito grande, à partir do coração humano.

Portanto, como igreja, não podemos nos alienar daquilo que não seja vida – precisamos analisar bem para procurar entender e impedir os mecanismos de morte. O Concílio Vaticano II apresenta  documentos  que reafirmam isso. A mineração é uma realidade que está aí e dissemina a morte. Não podemos como igreja nos fechar diante de nós mesmos. A concentração de riquezas nas mãos de poucos faz com que haja muita injustiça. Precisamos, todos juntos, debruçar sobre esse tema e realidade – Igreja, Mineração e Laicato. “Laos”- povo em grego – povo é gente, disse dom José. É preciso que olhemos por nossa gente. Laicato é preciso que se vive bem sua fé para transformar a realidade. Gente escolhida para ajudar nosso povo a refletir, tomar posição e lutar, mudar a realidade que está aí, esse é o papel do laicato.

Não basta apenas olhar, dialogar e preciso assumir – nosso laicato é chamado a assumir seu papel de transformação – não podemos fazer que a fé fique embutida dentro do templo – é preciso fazer para agir – dar vida – promover a semente do amor, da justiça, da misericórdia, da solidariedade para fazer acontecer mudança em nossas terras.

Enfim, esse seminário quer transformar e apresentar a motivação para o agir. São Mineradoras poluindo não só a terra, a água e o ar, mas também  o social. Unamos para exigir políticas públicas – que possamos depois desse seminário ser agentes transformadores, como sementes dessa nova vida, desse nosso chão, e finaliza o arcebispo: “Precisamos ser instrumentos para produzir vida. É preciso sim que assumamos mais essa missão de olhar pela causa daqueles que comem o “pão que o diabo amassou” para dar vida e vida nova. Esse chão que está aí é para dar vida para todos.

Depois da fala de dom José, a realidade do VER foram colocadas por Alexandre (Comissão Pastoral da Terra) e pelo professor Márcio da Diocese de Paracatu. Depoimentos de atingidos marcaram o momento que encerrou o primeiro período da manhã. No período da tarde foram apresentados os impactos na Vida Humana e o olhar Jurídico sobre a Mineração. Houve trabalho em grupo onde os participantes falaram dos Biomas seguido de apresentação em plenária. A diocese de Janaúba encerrou os trabalhos do primeiro dia com a mística preparada pelos participantes. Frei Pedro – apresentou um olhar teológico seguido de trabalhos de grupos e encerramento do seminário.

OBJETIVO GERAL DO SEMINÁRIO: O seminário teve por objetivo, articular e potencializar as lutas locais, na Província Eclesiástica de Montes Claros, frente ao avanço da mineração; aprofundar no entendimento da forma de implementação dos projetos, sua relação com o Estado, governos estadual e municipal; debater os problemas sociais, políticos e ambientais comuns na Província Eclesiástica; refletir sobre a nossa atuação frente a esses novos problemas sociais; proporcionar espaço para troca de experiências entre as regiões Norte e Noroeste que já vivem esses problemas relacionados à mineração; avaliar as estratégias das empresas e nossas formas de lutas e enfim, apontar desafios e possibilidades.

***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros  (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹out 2022› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...