Notícias

Literatura popular: Cordel da CF 2020

Literatura de cordel também conhecida aqui no Brasil como folheto, literatura popular em verso, ou simplesmente cordel, é um gênero literário popular escrito frequentemente na forma rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos.

Cordel da Fraternidade 2020

Fraternidade e Vida,
o dom e o compromisso
um tema que dá guarida
e que ninguém fuja disso;
2020 – A Campanha
ao ser humano acompanha
passo a passo seu problema:
viu e sentiu compaixão,
cuidou dele, do irmão
o pilar forte do lema.

Nessa era de egoísmo
que reina no universo,
consumismo, egocentrismo
tornando o homem perverso;
ver, mas finge que não ver
na frieza a se esconder
não age como humano;
esquece aquela passagem
que explica a fé e a coragem
de um bom samaritano.

Ao longo de muitos tempos
a nossa Igreja católica
ultrapassa contratempos
nessa missão apostólica:
são vários e vários temas,
diversificados lemas,
políticas públicas, saúde
família, ecologia
educação, moradia
e, melhor, dar atitudes.

De modo atento olhar
o próximo, com atenção,
a si, ao outro enxergar
e tomar a decisão:
planeta, ou casa comum
onde dois possam ser um
isso é a grande pedida;
o evangelho ensinou
o Mestre assim rubricou
na prática que é a vida.

A Campanha sempre foca
preceitos dos evangelhos
e tudo que ela enfoca
serve pra moços ou velhos;
Lucas, além de doutor,
foi grande investigador
e nos evangelhos seus
de Marcos e de João
detalham com perfeição
como o fez também Mateus.

A conferência oferece
um panorama completo
referência que se tece
com relevância e afeto:
quaresma em 2020,
ser compassivo é requinte
é ver, sentir e cuidar;
ninguém deve ser omisso
e ter como compromisso
mesmo pouco partilhar.

Com Irmã Dulce dos Pobres
nossa Campanha se alia
pelas atitudes nobres
da Santa, que a Bahia
fez dela a inspiração
de fecunda doação
dedicada a pobreza
a cada um ajudava
bálsamo que aliviava
a dor de tanta incerteza.

Quer a CNBB
a vida em mutirão
que todos, eu e você
sejam verbos de ação
o homem substantivo
é parasita, inativo
deve mudar esse texto;
tem que sentir e ajudar
jamais os braços cruzar;
aí, sim, muda o contexto.

5 décadas de Campanha
de luta e perseverança
que assiste e acompanha
cada passo da mudança;
segue a linha catequética
com todo brio e ética
corrigindo erros de antes
simples puxão de orelhas
resgata aquelas ovelhas
do redil já tão distantes.

A vida, um dom natural,
o nosso melhor presente,
natura, flora, animal
não tem trato diferente
que o homem leve no peito
a medida do respeito
decoro e honestidade;
se a mão direita lhe arma
vem a outra e lhe desarma
é lei da fraternidade.

O nosso Deus de ternura
um mundo lindo nos deu
temos, pois, essa ventura
que Jesus nos concedeu;
sejamos os guardiões
conscientes nas ações,
feito o bom samaritano
vendo o irmão no perigo
cuidou e lhe deu abrigo
mostrou ser o mais humano.

O vírus da ambição
ganância e preconceito
espanta a conversão
e deixa ódio no peito;
a justiça é o caminho
a flor sem nenhum espinho
pra perfumar a verdade;
trabalho é essencial
é a pitada de sal
fermento da unidade.

Dom, ação e compromisso
sentir, ver, agir cuidar
todos precisamos disso
consequência é ajudar:
educação, moradia,
saúde gera alegria,
segurança gera paz,
e que todo governante
possa ser mais atuante
provando que é capaz!

Nossa Igreja em saída
encontra as periferias
que tem fome de comida,
padecem no dia a dia;
diz nosso Papa Francisco
sofre muito o seu aprisco
vendo o católico omisso
o caminho ele aponta:
desculpa não paga a conta
partilha é compromisso.

Intercâmbio de cuidados
rotinas interromper,
compromissos agendados
o próximo possa atender:
São Lucas nos deu a dica
que nutre, que fortifica
Santa Irmã Dulce seguiu
não pecou por omissão
não deu conselhos em vão
com parcimónia*, agiu.

Mais um cordel da Campanha
saído de minha lavra
da lira de minha entranha
tecendo cada palavra:
Irmã Dulce – a gratidão
CNBB, ação;
com Lucas a ensinar
o evangelho vivendo
com ele sempre aprendendo
conjugar o verbo amar!

Bastinha Job / Portal Kairós /Dados da Autora: Sebastiana Gomes de Almeida Job ou BASTINHA, nasceu no Santo Amaro, município de Assaré – Ceará, sente-se orgulhosa de ser conterrânea de Patativa. Professora de Língua Portuguesa e Literatura Popular da Universidade Regional do Cariri URCA, desta última cadeira foi também sua fundadora.

Fonte: https://portalkairos.org/literatura-popular-cordel-da-campanha-da-fraternidade-2020/#ixzz6BwrbmxHI

_________________________________________
***Viviane Carvalho – Jornalista / Assessora de Comunicação e Imprensa da Arquidiocese de Montes Claros – MG  Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384  e-mail: [email protected]

 

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹dez 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...