Artigos

MISSÃO DE VOTAR

Quando encaramos e assumimos a vida como missão dada pelo Criador, preocupamo-nos com o bem comum a ponto de usarmos nossas capacidades e carismas para fazer o bem. É claro que devemos nos preocupar conosco mesmos. Porém, se não convivermos fazendo o bem aos outros, temos, como contrapartida, os efeitos nocivos para nós mesmos. Ao invés de só pensarmos em fazer muros altos, concertinas, cercas elétricas e câmeras de segurança, precisamos  formar a consciência cidadã e o desarmamento dos ânimos e de todo tipo de arma para a segurança de todos. A educação com os valores do altruísmo, da ética e da moral nos ajuda a sermos mais solidários com todos. Jesus é o maior Mestre que faz e dá lição de amor a ser vivido por todos.

Muitos vão às urnas votar displicentemente e dar seu apoio por retribuição de algum favor recebido ou por ignorar ou não usar do discernimento anterior para conhecer o verdadeiro perfil ético, honesto e de competência da pessoa escolhida para governar ou legislar em benefício do bem comum. Outros têm consciência de sua real missão de votar com responsabilidade em quem sabe ser o melhor para exercer o importante cargo público para legislar ou administrar a coisa pública. A corrupção eleitoral é o modo mais deletério de exercer a política, que deveria ser um nobre exercício de trabalhar em proveito da sociedade.

Vários Pontífices já alertaram sobre o bom exercício da política, como a melhor maneira de se fazer caridade. De fato, o político eleito para o cargo público, tem em mãos os meios para promoverem a boa saúde, a educação, a segurança e todos os outros instrumentos para irem ao encontro dos benefícios em relação às necessidades do povo, principalmente e a partir dos que mais são carentes. Se for pessoa honesta e com capacidade de legislar e administrar adequadamente a coisa pública, com pouco faz muito. Ao contrário, há os que, com muito fazem nada. Vemos muito disso no Brasil e no mundo.

Iniciamos o mês das missões com a grande missão de ajudarmos os municípios a terem mais gente de caráter e capacidade humana, ética e cristã, eleitas para realmente servirem bem o povo. Ajudar o coronelismo político inescrupuloso é o avesso da cidadania. O eleitor que se preze,  dá o voto bem preparado, pensado e responsável para eleger quem realmente tem competência moral para servir o povo no cargo a que for eleito. A Palavra de Deus orienta nossa ação missionária de tornarmos nossa caminha humana com mais acerto na direção da promoção da justiça, da verdade, da misericórdia e do bem de todos.

Nossa oração suba a Deus pedindo luzes aos eleitores e aos que forem eleitos para se unirem na grande missão de tornarmos a caminhada existencial mais humana e cheia de amor a Deus e de uns para com os outros.

Um profeta  nos questiona em relação à realidade social, para ajudarmos a reverter essa situação: “Violência!, sem me socorreres? Por que me fazes ver iniqüidades quando tu mesmo vês a maldade? Destruições e prepotência estão à minha frente; reina a discussão, surge a discórdia… Quem não é correto vai morrer, mas o justo viverá por sua fé” (Habacuc 1,2-3;2,4).

José Alberto Moura, CSS     Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹ago 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...