Voz do Pastor

O bom combate

O combate de quem trabalha pela causa da fé em Deus não é o das armas que destroem, nem a busca de poder pelo prestígio ou por vantagens materiais e sociais. Trata sim da vida combativa pelo ideal assumido com a busca de defesa de valores da dignidade e da conduta voltada para a promoção da justiça, da verdade e do bem do ser humano e do meio ambiente. A maior grandeza, então, não é a conquista de prestígio social, de bens materiais e de mecanismos de proteção de vantagens, benefícios e privilégios.

Pedro e Paulo, grandes apóstolos escolhidos por Jesus como duas colunas gigantescas de sua Igreja, deram a vida pela causa do Mestre e de seu Evangelho. Seu testemunho do bom combate da fé os levou ao despojamento total de si para sua entrega sem reservas para anunciar a todos que a vida só tem jeito do jeito do amor de Deus. Caso contrário, o ser humano combate só a favor de interesses mesquinhos e de baixo ou nulo valor  e emprega todo esforço na busca  do que é provisório colocado como finalidade de vida. Sem caminhar com o projeto de Deus e seus valores o ser humano se empobrece, destrói e vive sem sentido. As consequências são danosas para todos: guerras, injustiças, privilégios de minorias, utilização da inteligência para a exclusão social, a fome, o desemprego, a política mesquinha e promotora da mentira e das discriminações acontecem com dano incomensurável.

A luta dos apóstolos escolhidos por Jesus é a da promoção do bem pessoal e social, com a prática dos valores que dignificam o ser humano. No final da caminhada terrena, depois de ter vivido de modo tenaz e maravilhoso, Paulo afirma ter combatido o bom combate, por causa de Jesus e a implantação de seu Reino de justiça e amor (Cf. 2 Timóteo 4,7). Ele reconhece que está reservado para ele o prêmio. Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, não sem ter tudo feito de acordo com a incumbência dada por Jesus a Ele de apascentar suas ovelhas. Jesus deu-lhe o poder de ligar o ser humano com Deus (Cr. Mateus 16,19). Mas, em todos os momentos da vida e da missão desses baluartes da Igreja, Deus esteve com eles, dando-lhes força, coragem e perseverança para cumprirem bem sua missão. Afinal, Jesus fundou sua Igreja que tem a força de vencer tudo o que se opõe a seu Reino. O poder do inferno não tem a força de vencer sua Igreja (Cf. Mateus 16,18), mesmo ela sendo composta de seres humanos frágeis, mas tendo a graça e o poder de Deus! Pedro reconhece que, depois, de ser preso, Deus mandou seu anjo libertá-lo. Paulo também fala que o Senhor esteve a seu lado em seus combates a favor de sua missão, bem como está ao lado de toda a pessoa que  vive no seu amor e por causa dele realiza sua vontade.

A Igreja apostólica instituída por Jesus é encarregada de ser luz para toda a humanidade. Sua missão a faz propor, promover e defender o bom combate da promoção da vida plena e de sentido para todos, até que cada ser humano seja tratado e assumido como imagem e semelhança de Deus, como fizeram os apóstolos de Jesus.

Em Pedro e Paulo temos a certeza de participar da Igreja una, santa e católica, instituída não por um fundador puramente humano, mas sim pelo Filho de Deus!

José Alberto Moura, CSS – Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹out 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...