Notícias

“O diácono permanente é um dom para a vida da Igreja”, disse padre Marcelo

Foi realizado na Casa de Nazaré, entre os dias 6 e 8 de setembro, o retiro anual dos diáconos permanentes e esposas da Arquidiocese de Montes Claros. O evento foi assessorado pelo padre Marcelo Carlos da Silva, pároco da igreja Nossa Senhora da Boa Viagem – Santuário Arquidiocesano da Adoração Perpétua –  em Belo Horizonte. O provincial da Congregação Santíssimo Sacramento, religioso sacramentino com mais de 23 anos de caminhada, ficou encantado com o trabalho desenvolvido pelos diáconos na arquidiocese.  “Vou procurar nosso arcebispo, em Belo Horizonte, e vou pedir formação para uma nova turma. No Santuário temos uma demanda pastoral muito grande. Achei bonito e interessante o testemunho dos diáconos da arquidiocese de Montes Claros. A paixão deles pela missão pastoral, pelo povo de Deus e principalmente pelas comunidades rurais, é sem dúvida, um trabalho que soma muito com os padres. Fique admirado como a Igreja local enriquece esse ministério dos diáconos permanentes“.

Padre Marcelo trouxe para o retiro a proposta temática, a partir do documento 109 da CNBB – (Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2019-2023). O documento propõe um projeto de evangelização utilizando a metáfora da casa e seus 4 pilares. Sendo eles:  casa da palavra, casa do pão, casa da caridade e casa da missão. Dentro dos eixos da casa comum, trabalho e comunidades, o padre levou os diáconos e esposas à rezarem sobre essa missão da Igreja. Direcionou-os e estimulou-os à experiência orante e meditativa.

Ao ser perguntado sobre o que levaria na bagagem na viagem de volta, disse: “Levo o ardor desse povo do norte de Minas. Nós padres tínhamos que ter mais contato com os diáconos permanentes para entender como eles se desdobram entre família, trabalho e a missão pastoral. O diácono permanente é um dom para a vida da Igreja. Feliz a arqui(diocese) que tem o diácono permanente para ajudar na missão”.

E ao se despedir o religioso deixou uma mensagem àqueles que viverão o mês missionário extraordinário proposto pelo papa Francisco. “É preciso fazer da vida uma missão e não ter momentos de missão. Que sejamos uma igreja em estado de missão. No trânsito, que sejamos missionário promovendo o trânsito da paz. No meio ambiente – missionários da ecologia. No trabalho, missionário fiel na função que exercemos. É preciso sempre se coloca na presença de Cristo”, finalizou padre Marcelo.

Na arquidiocese de Montes Claros estão à serviço da missão, 44 diáconos permanentes.  

Fotos do retiro enviadas pelo diácono Milton Ney

_________________________________________
***Viviane Carvalho – Jornalista / Assessora de Comunicação e Imprensa da Arquidiocese de Montes Claros – MG  Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384  e-mail: [email protected] 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹mar 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...