Notícias

O sacerdote e a carmelita no altar!

No Carmelo Maria Mãe da Igreja e Paulo VI em Montes Claros, as monjas também se dedicam à produção de partículas que depois de consagradas pelo sacerdote, se tornam Hóstias. Depois de mais de 40 anos de história, tradição, oração e fé, as carmelitas falam sobre esse trabalho que além de minucioso, cuidadoso, delicado e repleto de sentidos, também está entre as inúmeras responsabilidades diárias que as enclausuradas desenvolvem dentro do Carmelo.

Em conversa com a madre superiora, Maria Tereza Margarida, acompanhada da irmã Maria Letícia, uma das monjas responsáveis pela produção (até o dia da entrevista), elas explicaram o minucioso processo de fabricação que inicia ainda de madrugada e que garante de alguma forma o sustento das religiosas.  “A produção das partículas de hóstias em nosso Carmelo é, debaixo da Divina Providência, o meio de adquirir recursos financeiros para o sustento do mosteiro. Há mais de 40 anos Deus nos mantém aqui com Sua mão prodigiosa, onde, por meio de muitos corações generosos e mãos amigas que colaboram no nosso sustento, vemos a confirmação de nossa vocação e missão contemplativa desejada por Deus a serviço da Igreja, de modo especial em nossa arquidiocese”. 

PROCESSO DE FABRICAÇÃO DAS PARTÍCULAS: Elas começam ainda de madrugada. No dia anterior o trigo é peneirado. “Despertamos às 4:45 e colocamos a massa para bater antes de rezarmos Laudes às 5h10. Deixamos bater por aproximadamente 30 minutos e a massa descansa um pouco. O segundo passo é assar as pastas que são colocadas em uma sauna para umedecer. O Processo de assar leva quase toda a parte da manhã, quando fazemos uma quantidade grande. À tarde guardamos as pastas umedecidas e só no dia seguinte é que a cortamos. Encerrado este processo, fazemos a seleção das hóstias antes de empacotar e selar”, explica irmã Maria Letícia, o longo e trabalhoso processo: “Para assar as pastas, o processo é contínuo. Depois temos que aguardar umedecer o suficiente (as vezes guardamos durante a noite, quando fazemos uma quantidade maior que a de costume)  porém, só cortamos no dia seguinte.

Os ingredientes utilizados são água e trigo.  A produção é de 15 kg de farinha especial (quando a farinha não é de boa qualidade as pastas racham ou grudam na máquina e desperdiça muito), informa. A máquina nova que ganharam só aceita farinha de primeira linha. Para a quantidade de farinha indicada, são produzidos em média 17 pacotes/dia. As monjas aumentam e ou diminuem a fabricação de partículas de acordo com a demanda.  A produção que mais sai são as Magna (tamanho médio), depois CD (são chamadas assim porque são do tamanho de um CD), comumente usadas em celebrações solenes e as de tamanho padrão/ pequena. O pacote é vendido ao preço de R$ 10,00.

No momento da entrevista, elas fizeram um apelo ao clero da arquidiocese de Montes Claros para que passassem a consumir o produto produzido por elas no Carmelo, assim, ajudariam também na manutenção do mosteiro, e fizeram um pedido direto a eles que transcrevemos abaixo:

Caros sacerdotes de nossa querida arquidiocese de Montes Claros, nós carmelitas, na missão apostólica sob as bases da oração e do silêncio, buscamos também com o labor de nossas mãos, oferecer à Igreja de Cristo o fruto deste trabalho feito com amor e dedicação para que vossas mãos ungidas pela ação do Espírito Santo, possam “completar a obra começada” nesse grande edifício espiritual que é o Corpo de Nosso Senhor. O sacerdote e a carmelita no altar! Nossos trabalhos em suas mãos vão se tornar o sustento no tempo e na eternidade de almas famintas e sedentas do Verdadeiro Alimento – o Amor. Ele próprio disse: “Daí – lhes vós mesmos de comer” (Mt. 14,16) para nos mostrar que somos e estamos n’Ele sempre que somos e estamos para o próximo. Logo precisamos uns dos outros, pois precisamos de Cristo!

As carmelitas acreditam que em meio à busca perseverante na oração e intercessão, o trabalho de produção das partículas é um constante louvor a Deus. “Que os dons recebidos d’Ele sejam postos nas mãos dos operários da grande messe. Zelosos e animados, como viveram os primeiros cristãos, estejamos sempre mais unidos pelos laços de “comunhão fraterna, alegria e simplicidade de coração” (At. 2,42.46).  Que Nossa Mãe Santíssima do Carmo nos ensine a fazer de nossa vida um ato contínuo de amor a Deus. Deus lhes pague!

Algumas paróquias de Montes Claros já consomem as partículas produzidas pelas carmelitas. Elas começaram também a fornecer para outras cidades como Cachoeiro do Itapemirim, Divinópolis, Taiobeiras, Juramento justamente pela qualidade do produto ofertado.

PARA PEDIDOS:
Encomende pelo telefone: (38) 3212-4260.
Horários de atendimento: 9h às 11h e 15h às 17h.
Valor: R$ 10,oo

___________________________________________

***Viviane Carvalho – Assessoria de Comunicação e Imprensa da Arquidiocese de Montes Claros – MG
Contato: (38) 9905-1346 (38) 9 8423-8384
e-mail: [email protected] 

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹jan 2022› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...