Voz do Pastor

PÃO DA VIDA

Os antigos judeus experimentaram a fome no deserto, mas não sem a ação da Providência divina que os fez alimentar-se com o maná (Cf. Êxodo 16, 2-15). Apesar da sua dureza de coração o povo, rompeu a aliança através da idolatria.  Mesmo assim ele experimentou a atuação amorosa de Deus com tantos milagres na caminhada.   A partir da libertação do jugo dos egípcios o povo sempre foi socorrido em suas necessidades básicas de vida, culminando com a entrada na terra prometida.

Hoje a morte por falta de alimento e a realidade das guerras e injustiças têm feito pessoas e povos viverem na miséria e incerteza de uma vida digna. Ao mesmo tempo o esbanjamento e luxo de minorias fazem o desperdício do que sanaria a fome de todos. Isso é resultado de mau planejamento de governos e falta de políticas públicas que equilibrem a realidade social com a promoção de mais justiça e consciência da necessidade de promoção da cidadania para todos.

A consciência da dignidade humana deveria ser mais inoculada na formação do caráter e da formação da alteridade. Desta forma se valorizaria mais a pessoa enquanto ela convive com o semelhante de forma fraterna e solidária. A fé religiosa não só deveria sensibilizar o ser humano para ele se relacionar com o divino de forma confiante  e esperançosa, mas também com sede de realizar seus ensinamentos e sua vontade. Isso  conduziria o fiel à prática de boas ações e ao amor ao outro. Afinal, todos somos filhos e filhas de Deus. Ele deseja o bem de todos.

O maná da alimentação não deveria faltar a ninguém para termos mais cidadania e vida de inclusão social para todos. Deus dá Inteligência e outros valores e virtudes para a humanidade. Se tudo fosse desenvolvido para o bem comum não faltaria nada do necessário para todos sobreviverem e viverem de modo justo e solidário. As guerras, a miséria, a fome, a falta de boa educação, da assistência à saúde, da moradia, da segurança e outros males seriam superados, pois, o amor a Deus e ao semelhante seria a base de sustentação na convivência humana.

Questionado sobre o pão de Deus Jesus responde dizendo ser Ele o próprio “pão da vida” (Cf. João 6,35). De fato, quem O segue tem tudo para uma vida de sentido e o necessário para conviver espalhando somente o que promove a vida de benefício para uma convivência humana saudável. No seguimento do Mestre todos seguem o caminho da realização humana em todos os sentidos.

José Alberto Moura, CSS
Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...