Notícias

Província realiza seminário

Aconteceu neste final de semana na Casa de Pastoral, bairro Santo Antônio, o I Seminário Provincial sobre a Família com participação de 90 pessoas representando as lideranças que trabalham e estão à frente da Pastoral Familiar na Arquidiocese de Montes Claros e as dioceses que parte da província: Januária, Janaúba e Paracatu.

Todo o Seminário foi assessorado pelo leigo casado, Antônio Evangelista da Arquidiocese de Campinas – SP que estudou com os participantes a Exortação Apostólica Pós-sinodal do Papa Francisco Amoris Laetitia – sobre o amor na família, dando ênfase ao seu capítulo VI, que trata das perspectivas pastorais no contexto familiar.

No sábado, o Arcebispo Metropolitano Dom José Alberto Moura participou junto com os bispos de Janaúba e Paracatu. No domingo, comandou o bispo de Januária devido a apertada agenda dos outros bispos que voltaram no sábado para as suas dioceses.

Dom José Alberto falou da importância de se promover esse Seminário a nível de província: “Precisamos valorizar mais a família. É preciso que ela seja melhor estruturada na sua base e formação, obedecendo as orientações e encaminhamentos da Igreja para que seja fonte real de vida no humano entrelaçado no Divino”.  Dom José acredita que um encontro como este reforça a pastoral familiar.

Para o Bispo de Paracatu, Dom Jorge Bezerra é importante essa integração entre a Província Eclesiástica: “Esse seminário abre para todas as famílias muitas possibilidades de comunhão, participação e protagonismo na vida da igreja. Olha só o quanto a igreja é chamada a ser misericordiosa especialmente com as pessoas que estão em situações especiais, não as excluindo da participação da comunhão de trabalho e missão da igreja – da ação de protagonismo”, reforçou ainda que é importante, embora caminha com os pés dos padres que estão em lugares difíceis de Missão – “Ai de nós se não fosse o trabalho dos leigos e leigas e das famílias na vida da igreja”. Dom Jorge veio para o encontro acompanhado de dois padres e casais coordenadores leigos e disse que vai colocar em prática tudo aquilo que foi rezado e refletido em conjunto.

O Bispo de Janaúba, Dom Ricardo Brusati disse que na tentativa de viver a comunhão não só na teoria, mas também na prática, é importante um seminário como esse acontecer a nível provincial. “Devemos estar em sintonia com a CNBB e também com o Santo Padre, por isso estudamos juntos a exortação Apostólica”. Dom Ricardo frisou que é preciso uma atenção especial às pessoas e casais que se afastaram por algum motivo. “É preciso promover a comunhão”.

“Onde tem unidade tem força”, declarou Dom José Moreira, bispo de Januária, ao afirmar a importância única desse evento. “O Papa pede que valorizemos as províncias – para que as dioceses andem em unidade. Vamos realizar quando voltarmos para Januária esse seminário a nível Diocesano, queremos atingir o maior número de famílias. Os missionários que vieram são cristãos envolvidos, são criativos e demonstraram belas iniciativas no campo pastoral – de fato, queremos revolucionar nossa diocese”, disse confiante dom José Moreira.

Leigo, casado, Antônio Evangelista assessorou todo o seminário para as famílias participantes. Ao ser perguntado como ele se sentia ao falar de um documento tão importante como o Amoris Laetitia do Santo Padre, disse: “É sempre um desafio falar a partir das orientações de Francisco. Mais ainda, quando se tem um colegiado de bispos, padres, estudiosos do assunto no mesmo local. O leigo também está no matrimônio, então vejo como uma conjugação de várias possibilidades onde podemos avançar no que Francisco propõe. Para ele a igreja não tem barreiras, neste documento ele propõe a percepção de muitos desafios. O mundo moderno pede muito o ter, mas é o SER que o Papa pede para valorizarmos”, e sublinhou: “Tudo surge na familia, principalmente as vocações surgem nas famílias. É gratificante acompanhar esses passos que Francisco pede que demos em direção à família”.

Antônio ressaltou ainda que o papa é bem cuidadoso quando traz indicativos – crises oriundas ou processos de convivência e relacionamentos na familia – Acompanhamos que a família sofre novas expressões, novos jeito de ser. Percebemos que no final do século, mães tem acesso ao mercado de trabalho, mas diminui o tempo de permanência no convívio familiar, as redes sociais ganham força, a dimensão da homossexualidade e homoafetividades são cada vez mais comuns, e que, segundo o Papa,  não deve ser motivo de discriminação e não aceitação – precisamos ir ao encontro dessas dificuldades, não estamos no momento de concordar ou discordar. Estamos no momento de acolher e ouvir.

Para finalizar destacou: Amoris Laetitia não é receita do que é certo ou errado, quem achou que fosse, se frustrou.  O Papa apenas discute o assunto – a pessoa humana na centralidade – a misericórdia em si – deixa claro no documento que bom que existe a legislação, orientação, mas o ser humano é maior que qualquer legislação, qualquer pressuposto do mercado. Por isso nos desafia a primeiro acolher e depois cuidar”.

O Seminário iniciou às 7h do dia 26 e encerrou ao meio dia de 27 de novembro.

***Todas as Fotos podem ser conferidas nas Fanpages da Arquidiocese de Montes Claros e na Diocese de Januária

_______________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

 
 « ‹jun 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...