Notícias

Província realiza seminário

Aconteceu neste final de semana na Casa de Pastoral, bairro Santo Antônio, o I Seminário Provincial sobre a Família com participação de 90 pessoas representando as lideranças que trabalham e estão à frente da Pastoral Familiar na Arquidiocese de Montes Claros e as dioceses que parte da província: Januária, Janaúba e Paracatu.

Todo o Seminário foi assessorado pelo leigo casado, Antônio Evangelista da Arquidiocese de Campinas – SP que estudou com os participantes a Exortação Apostólica Pós-sinodal do Papa Francisco Amoris Laetitia – sobre o amor na família, dando ênfase ao seu capítulo VI, que trata das perspectivas pastorais no contexto familiar.

No sábado, o Arcebispo Metropolitano Dom José Alberto Moura participou junto com os bispos de Janaúba e Paracatu. No domingo, comandou o bispo de Januária devido a apertada agenda dos outros bispos que voltaram no sábado para as suas dioceses.

Dom José Alberto falou da importância de se promover esse Seminário a nível de província: “Precisamos valorizar mais a família. É preciso que ela seja melhor estruturada na sua base e formação, obedecendo as orientações e encaminhamentos da Igreja para que seja fonte real de vida no humano entrelaçado no Divino”.  Dom José acredita que um encontro como este reforça a pastoral familiar.

Para o Bispo de Paracatu, Dom Jorge Bezerra é importante essa integração entre a Província Eclesiástica: “Esse seminário abre para todas as famílias muitas possibilidades de comunhão, participação e protagonismo na vida da igreja. Olha só o quanto a igreja é chamada a ser misericordiosa especialmente com as pessoas que estão em situações especiais, não as excluindo da participação da comunhão de trabalho e missão da igreja – da ação de protagonismo”, reforçou ainda que é importante, embora caminha com os pés dos padres que estão em lugares difíceis de Missão – “Ai de nós se não fosse o trabalho dos leigos e leigas e das famílias na vida da igreja”. Dom Jorge veio para o encontro acompanhado de dois padres e casais coordenadores leigos e disse que vai colocar em prática tudo aquilo que foi rezado e refletido em conjunto.

O Bispo de Janaúba, Dom Ricardo Brusati disse que na tentativa de viver a comunhão não só na teoria, mas também na prática, é importante um seminário como esse acontecer a nível provincial. “Devemos estar em sintonia com a CNBB e também com o Santo Padre, por isso estudamos juntos a exortação Apostólica”. Dom Ricardo frisou que é preciso uma atenção especial às pessoas e casais que se afastaram por algum motivo. “É preciso promover a comunhão”.

“Onde tem unidade tem força”, declarou Dom José Moreira, bispo de Januária, ao afirmar a importância única desse evento. “O Papa pede que valorizemos as províncias – para que as dioceses andem em unidade. Vamos realizar quando voltarmos para Januária esse seminário a nível Diocesano, queremos atingir o maior número de famílias. Os missionários que vieram são cristãos envolvidos, são criativos e demonstraram belas iniciativas no campo pastoral – de fato, queremos revolucionar nossa diocese”, disse confiante dom José Moreira.

Leigo, casado, Antônio Evangelista assessorou todo o seminário para as famílias participantes. Ao ser perguntado como ele se sentia ao falar de um documento tão importante como o Amoris Laetitia do Santo Padre, disse: “É sempre um desafio falar a partir das orientações de Francisco. Mais ainda, quando se tem um colegiado de bispos, padres, estudiosos do assunto no mesmo local. O leigo também está no matrimônio, então vejo como uma conjugação de várias possibilidades onde podemos avançar no que Francisco propõe. Para ele a igreja não tem barreiras, neste documento ele propõe a percepção de muitos desafios. O mundo moderno pede muito o ter, mas é o SER que o Papa pede para valorizarmos”, e sublinhou: “Tudo surge na familia, principalmente as vocações surgem nas famílias. É gratificante acompanhar esses passos que Francisco pede que demos em direção à família”.

Antônio ressaltou ainda que o papa é bem cuidadoso quando traz indicativos – crises oriundas ou processos de convivência e relacionamentos na familia – Acompanhamos que a família sofre novas expressões, novos jeito de ser. Percebemos que no final do século, mães tem acesso ao mercado de trabalho, mas diminui o tempo de permanência no convívio familiar, as redes sociais ganham força, a dimensão da homossexualidade e homoafetividades são cada vez mais comuns, e que, segundo o Papa,  não deve ser motivo de discriminação e não aceitação – precisamos ir ao encontro dessas dificuldades, não estamos no momento de concordar ou discordar. Estamos no momento de acolher e ouvir.

Para finalizar destacou: Amoris Laetitia não é receita do que é certo ou errado, quem achou que fosse, se frustrou.  O Papa apenas discute o assunto – a pessoa humana na centralidade – a misericórdia em si – deixa claro no documento que bom que existe a legislação, orientação, mas o ser humano é maior que qualquer legislação, qualquer pressuposto do mercado. Por isso nos desafia a primeiro acolher e depois cuidar”.

O Seminário iniciou às 7h do dia 26 e encerrou ao meio dia de 27 de novembro.

***Todas as Fotos podem ser conferidas nas Fanpages da Arquidiocese de Montes Claros e na Diocese de Januária

_______________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...