Notícias

SEMENTE DO REINO

Vivemos na terra por alguns anos. Conforme o cultivo dos anos da vida vamos percebendo a possibilidade de ter frutos, já colhidos aqui,  e com base de sustentação para  uma vida eterna feliz. Ao contrário, esta caminhada terrestre se torna uma decepção para cada um e para todos. Tudo depende de usarmos as oportunidades e talentos outorgados por Deus para os colocarmos a serviço de toda a comunidade. Só ter frutos para o aqui da história é muito pouco para quem tem o sonho e a certeza de um futuro imorredouro feliz.

Assentar bases atuais para a construção de um edifício humano sólido para nos tornar realizados em nossa missão de ajudar a implantar um reino de amor, justiça e solidariedade exige de cada um o cuidar da semente da vida que o Criador plantou em nós.

O profeta apresenta as palavras divinas, comparando a vida de um povo qual planta altaneira colocada sobre um monte. Ela dará frutos e servirá de habitação para as aves, mostrando a maravilha da criação (Cf. Ezequiel 17,22-24). De fato, se olharmos com o visual da fé a natureza com tudo o que ela contém, ficamos maravilhados e remontamos ao seu Criador, que deseja o bem de todos, da natureza a ser respeitada e cuidada, dos seres vivos aí habitando e, de modo especial, do ser humano. Depende de nós, humanos, usar da inteligência para cuidarmos com amor da convivência  que promova a vida digna para todos. Quando isso não acontece, e nem sempre acontece, devemos rever a caminhada e tomarmos o caminho inicial de fazer a semente da vida produzir melhores frutos.

O apóstolo Paulo lembra a importância de vivermos para Deus, ajudando a implantar o seu Reino de amor, para que a vida tenha sentido e produza benefício para cada um. Um dia nos apresentaremos diante do tribunal divino, recebendo a recompensa de termos trabalhado conforme suas diretrizes. Ao contrário, teremos o castigo (Cf. 2 Coríntios 5,6-10). Não se trata de uma assertiva puramente de uma religiosidade opcional, mas de uma verdade vital. O modo de viver na terra deixará consequências boas ou danosas para todos. Por isso, a semente da vida de cada um tem em seu bojo o potencial de resultado bom ou ruim, conforme seu encaminhamento. Enquanto temos tempo é de bom alvitre que revejamos nosso modo de viver, implantando ou não o Reino de justiça, solidariedade e promoção do bem para todos.

Jesus fala do Reino como uma semente de mostarda. Ela é muito pequena. Mas, se bem plantada e bem cuidada, torna-se maior do que muitas hortaliças (Cf. Marcos 4,31-32). Assim somos nós. Mesmo com nossos limites, podemos e devemos fazer nossa parte, cuidando de nossa vida para que ela produza o máximo de valores, em bem dos outros e  de nós mesmos!

  1. José Alberto Moura, CSS

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros, MG

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹ago 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...