Notícias

“Sim, o Senhor me ungiu”

29497012_1014330888723479_6954822473722748114_n

Mesmo sendo humanos, e sujeitos aos limites do nosso ser humano, somos ungidos e consagrados para a missão de ajudar o nosso povo a viver a sua unção pelo batismo a serem coerentes para seguir o Cristo, o ungido do Pai”, enfatizou dom José Alberto Moura, durante homilia da Missa da Unidade. “Acabamos de fazer o retiro assessorado por este homem de Deus, Dom Diamantino, que nos falou dessa comunhão. A Comunhão não significa uniformidade, mas sim, compreender as diferenças colocadas na perspectiva de Jesus. Somos encarregados de promover a comunhão do humano com o Divino e por isso mesmo devemos dar respostas a Deus e aos fiéis. É preciso que nós nos esforcemos para vivermos fraternalmente entre nós”.

O arcebispo destacou ainda que neste ano, dedicado nacionalmente ao laicato, que todos são estimulados a viverem a consagração na família, no trabalho, na sociedade para nestes lugares, implantar o fermento do amor, do Cristo. E apontou que é preciso uma política de promoção da cidadania.

Finalizou dizendo ao clero arquidiocesano que como ministério ordenado, são embaixadores de Jesus Cristo. E que tem a missão de mostrar ao povo de Deus que vale a pena seguir o caminho do Pai. É preciso que entre nós, clero exista vivo um relacionamento de fraternidade e comunhão. Precisamos fortalecer nossa unidade para juntos, focarmos no serviço de amor a que somos chamados diariamente desde quando demos o nosso sim, ao nosso chamado, nossa vocação.

Dessa forma, foi realizada na Catedral Nossa Senhora Aparecida a Missa da Unidade (renovação das promessas sacerdotais) e benção dos Santos Óleos, ocorrida na noite de quinta-feira (22), encerrando o Retiro Anual do Clero da Arquidiocese de Montes Claros.

Presidiu a celebração, Dom José Alberto Moura, arcebispo metropolitano. Concelebrou com ele o arcebispo coadjutor, Dom João Justino de Medeiros Silva e Dom Frei Diamantino Prata de Carvalho OFM – Bispo Emérito de Campanha – MG, que veio a cidade exclusivamente para pregar o retiro do clero.

Missa do Crisma, é realizada na Quinta-feira Santa na catedral de cada diocese. Porém, para uma melhor participação do clero, na Arquidiocese de Montes Claros, antecipou a celebração com o encerramento do retiro. Nessa celebração ocorre a bênção dos Santos Óleos (Crisma, Enfermos e do Batismo).

Entenda melhor:

Óleo dos Catecúmenos concede a força do Espírito Santo aqueles que serão batizados para que possam ser lutadores de Deus, ao lado de Cristo, contra o Espírito do mal. Este óleo poderá ser abençoado pelo padre, antes de ser usado. Por motivos pastorais, a unção com o Óleo Catecumenal poderá ser omitido na celebração do Batismo ou antes da celebração do mesmo. O batizando é ungido com o óleo dos catecúmenos, no peito.

Óleo dos Enfermos que, em caso de necessidade poderá ser abençoado pelo padre, antes da unção do enfermo, é um sinal sensível utilizado pelo sacramento da Unção dos Enfermos, que traz o conforto e a força do Espírito Santo para o doente no momento de seu sofrimento. O doente é ungido na fronte e na palma das mãos.

Santo Crisma é um óleo perfumado utilizado nas unções consacratórias dos seguintes sacramentos: depois da imersão nas águas do batismo, o batizado é ungido na fronte; na Confirmação é o símbolo principal da consagração, também na fronte; depois da Ordenação Episcopal, sobre a cabeça do novo bispo; depois da ordenação sacerdotal, na palma das mãos do néo-sacerdote. Também é usado em outros ritos consacratórios, como na dedicação de uma Igreja, na consagração de um altar, quando o Santo Crisma é espalhado sobre o altar e sobre as cruzes de consagração que são colocadas nas paredes laterais das igrejas dedicadas (consagradas). Em todos estes casos, o Santo Crisma recorda a vinda do Espírito Santo que penetra as pessoas como o óleo impregna a cada um deles que o toca. Ele faz com que pessoas sejam ungidas com a unção real, sacerdotal e profética de Jesus Cristo.

Os Santos Óleos, de modo particular o Santo Crisma, têm caráter sacramental. Antigamente, os Óleos eram guardados dentro de um pequeno sacrário, costume este que está voltando em muitas comunidades, como sinal de respeito.

Foto: Pascom Catedral

_________________________________________________________
***Viviane Carvalho – Assessoria de Imprensa Arquidiocese de Montes Claros (38 Vivo) 9905-1346 (38 claro) 8423-8384 ou pelo e-mail: [email protected]

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Artigos de Dom João Justino

Arcebispo Metropolitano de Montes Claros (MG)

Luz para os Meus Passos

AGENDA

SuMoTuWeThFrSa
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

 
 « ‹jun 2021› » 

REVISTA

 

ENQUETE

No ano em que realizaremos a IV AAP (Assembleia Arquidiocesana de Pastoral) a Diocese de Montes Claros comemora quantos anos de criação?

Ver resultados

Carregando ... Carregando ...